9 de jul de 2010

A Cadeira

A filha de um homem pediu ao sacerdote que fosse à sua casa para fazer uma oração com seu pai que estava enfermo.
    Quando o sacerdote chegou à residência do enfermo, encontrou um homem bastante doente, numa cama, com a cabeça levantada por um par de almofadas. Ao lado da cama havia uma cadeira, e entendeu que o homem sabia que viria visitá-lo.
    Suponho que estava me esperando, lhe disse.
    Não, quem é o senhor?, disse o homem.
    Sou o sacerdote que sua família pediu que viesse para orar consigo. E quando enxerguei a cadeira vazia ao lado da cama,
entendi que o amigo sabia que eu viria vê-lo.
    Oh sim, a cadeira, disse o homem na cama. Por favor, poderia fechar a porta?
    O sacerdote, surpreso, fechou-a. Nunca contei a ninguém o que agora vou lhe  dizer, mas... toda a minha vida se passou sem saber como orar.
    Quando costumava ir à igreja, sempre escutava a respeito da oração, que deve-se orar regularmente, os benefícios que a oração
traz etc., mas sempre isso entrou por um ouvido e saiu pelo outro, pois não tinha idéia de como fazê-lo. Desta forma, fazia muito tempo que abandonara totalmente qualquer tentativa quanto à oração. Isto foi assim até quatro anos atrás, quando então, conversando com meu melhor amigo, ele me disse:
    - José, isso de orar é simplesmente ter uma conversa com Jesus. Assim, eu te sugiro que o faças... Senta-te numa cadeira e coloca outra bem na tua frente. Em seguida, com fé, imagina Jesus sentado diante de ti. Não é nada louco fazê-lo, pois Ele nos disse: "Eu estarei sempre com vocês"
    ...Portanto, fala com Jesus e escuta-o da mesma maneira como estás fazendo comigo neste momento!
    E José continuou falando: É assim que fiz uma vez, e gostei tanto que continuei fazendo umas duas horas por dia desde então.
    Mas sempre tenho muito cuidado que minha filha não se dê conta ou que me enxergue, pois certamente que me internaria imediatamente num sanatório.
    O sacerdote sentiu uma grande emoção ao escutar essa narrativa toda, e disse a José que aquilo tudo que estava fazendo era
muito bom e não deveria absolutamente parar. Em seguida tomou sua mão, orou com ele, deu-lhe a bênção da saúde, e retirou-se.
    Dois dias depois, a filha de José tornou a chamar o sacerdote e disse-lhe que seu pai havia falecido. O sacerdote perguntou se
havia falecido em paz,  tranqüilamente, sem dor.
    Sim, respondeu a filha. Quando saí de casa, mais ou menos às duas horas da tarde, ele me chamou e fui vê-lo junto à cama.
    Disse-me, então, que me amava muito, e deu-me um beijo na face. Quando voltei das compras, uma hora mais tarde, encontrei-o morto. Mas há algo estranho a respeito de sua morte, pois, aparentemente, pouco antes de falecer, ele se aproximou da cadeira que estava ao lado da cama e recostou sua cabeça sobre ela, pois foi assim que o encontrei. O que o senhor acha que isso significa???
    O sacerdote engoliu em seco, conteve algumas lágrimas que teimavam em rolar de seus olhos, e respondeu com voz rouca:
    - Seria bom se nós pudéssemos falecer da mesma maneira!

(Desconheço Autoria)

Estamos Aprendendo

Quantas e quantas vezes na vida somos atropelados por nossos erros?
Nesses momentos a primeira " visita " que recebemos é a culpa.
Ela vem sem avisar e entra sem bater como toda visita mal educada.
Ela bagunça todo nosso ambiente mental, emocional e físico.
Ela é inclemente e inconveniente.
E nós nos entregamos a essa "dama" cruel e inconseqüente.
Nós deixamos que ela nos domine.
Passamos trancas em todas as portas e colocamos grades
em todas as janelas para nos prevenir de ladrões.
Porém sempre abrimos os braços para aqueles ladrões
de tranqüilidade, de sono, de paz.
Ela, a culpa, é um desses ladrões.
É uma assaltante que nos pega de surpresa, que nos derruba,
que nos paralisa, que nos aleija.
Qual o melhor sistema de segurança contra ela?
O perdão.
O perdão que nos damos com o reconhecimento de que
sempre estamos aprendendo.
Só o perdão ensina.
A culpa nada nos ensina.
Ela só atrofia nossa capacidade de aprendizado.
Quanto menos aprendemos, mais erramos.
Quanto mais erramos, mais nos culpamos.
É uma bola de neve!
A culpa é um agente de vingança que carregamos
sem perceber, dentro de nós.
Ela não só nos maltrata, como também àqueles
que não queremos ver maltratados. Tornamo-nos tóxicos e negativos por medo de " errar " de novo.
Quem paga por isso?
Aqueles que amamos e nós próprios.
Se Deus perdoa, quem somos nós, meros mortais, para não perdoar?
Sempre que nos exorcizamos com o " chicote da culpa
" estamos no caminho oposto ao do Pai.
Fiquemos do lado Dele!
Sempre tenhamos em mente que quem usa o castigo é o vingativo.
Não importa se punimos a outros ou a nós mesmos:
é sempre um ato de vingança.
Aceitemos nossas falhas humanas já que da condição
de humanos não podemos sair.
Demonstremos com atos nossas melhores intenções e perdoemo-nos.
A culpa não apaga nenhum ato consumado.
O que está feito está feito e nem Deus pode mudar o passado.

Existência De Deus


Damico era dono de uma bem sucedida farmácia numa cidade do interior.
Era um homem bastante inteligente mas não acreditava na existência de Deus ou de qualquer outra coisa além do seu mundo material.
Um certo dia, estava ele fechando a farmácia quando chegou uma criança aos prantos dizendo que sua mãe estava passando mal e que se ela não tomasse o remédio logo iria morrer.
Muito nervoso e após insistência da criança, resolveu reabrir a farmácia para pegar o remédio.
Sua insensibilidade perante aquele momento era tal que acabou pegando o remédio mesmo no escuro, entregou-o à criança, que agradeceu e saiu dali às pressas.
Minutos depois, percebeu que havia entregado o remédio errado para criança e, se aquela mãe o tomasse, seria morte instantânea.
Desesperado, tentou alcançar a criança mas não teve êxito.
Gritou em desespero..
e o tempo passava e nada acontecia.
Sem saber o que fazer e com a consciência pesada, ajoelhou-se e começou a chorar e dizer que se realmente existia um Deus que não o deixasse passar por assassino.
O tempo passava e ele, de joelhos ficava pensando que a mulher poderia já estar morta e,certamente, ele teria de pagar por isso.
Refletiu sobre suas intemperança, sobre seu mau humor principalmente sobre sua insensatez.
De repente, sentiu uma mão tocar-lhe o ombro esquerdo e ao virar deparou-se com acriança em prantos.
Naquele momento ficou desconsolado.
Mas tinha uma certeza: Deus, de fato, não existia.
Já podia imaginar o que estava para lhe acontecer.
O choro e o olhar triste daquela criança lhe atravessava a alma.
No entanto, como um lampejo de sabedoria, perguntou ao menino o que lhe havia acontecido.
Então aquela criança começou a dizer: Senhor, por favor não brigue comigo, mas é que caí e quebrei o vidro do remédio, dá pro senhor me dar outro?
Deus existe e te conhece pelo teu nome.
Ele sempre tem o melhor para você, por mais que as circunstâncias mostre o contrário.
Creia neste amor que é maior do que qualquer um dos seus problemas, mesmo que estes sejam grandes e de difícil resolução.
Creia na vida melhor que Ele tem preparada para você!
Creia neste amor!
Não considere esta mensagem como religiosa: é algo muito maior do que religião.
É uma mensagem sobre o amor de Deus que te faz estar próximo dele.
Quem te faz próximo ao seu Pai é este amor.
Creia em todos os instantes deste dia como se fossem milagres realizados só para você, pois você é, com toda certeza, um dos milagres de Deus aqui na terra.
Autor Desconhecido.

A Fábula das Três Árvores!

"Havia, numa cidade, três pequenas árvores que sonhavam o que seriam depois de grandes.
A primeira, olhando as estrelas, disse:
- Eu quero ser o baú mais precioso do mundo, cheio de tesouros. Para tal, até me disponho a ser cortada.
A segunda olhou para o riacho e suspirou:
- Eu quero ser um grande navio para transportar reis e rainhas.
A terceira árvore olhou o vale e disse:
- Quero ficar aqui no alto da montanha e crescer tanto, mas tanto, que as pessoas, ao olharem para mim, levantem seus olhos e pensem em Deus.
Muitos anos se passaram e certo dia vieram três lenhadores e cortaram as três árvores, todas ansiosas em serem transformadas naquilo que sonhavam.
Mas lenhadores não costumam ouvir e nem entender sonhos... Que pena!
A primeira árvore acabou sendo transformada num coxo de animais, coberto de feno. A segunda virou um simples e pequeno barco de pesca, carregando pessoas e peixes todos os dias. E a terceira, mesmo sonhando em ficar no alto da montanha, acabou cortada em grossas vigas e colocada de lado num depósito.
E todas as três se perguntavam desiludidas e tristes: "- Para que isso?"
Mas, numa certa noite, cheia de luz e de estrelas, onde havia mil melodias no ar, uma jovem mulher colocou seu bebê recém nascido naquele coxo de animais. E, de repente, a primeira árvore percebeu que continha o maior tesouro do mundo.
A segunda árvore, anos mais tarde, acabou transportando um homem que acabou dormindo no barco, e, no meio de uma tempestade, quando o estavam quase afundando, o homem levantou e disse ao mar revolto: "Sossegai". Num relance, a segunda árvore entendeu que estava carregando o Rei dos Céus e da Terra.
Tempos mais tarde, numa sexta-feira, a terceira árvore espantou-se quando suas vigas foram unidas em forma de cruz e um homem foi pregado nela, pois fora condenado à morte, mesmo sendo inocente.
Logo, sentiu-se horrível e cruel. Mas no domingo, o mundo vibrou de alegria e a terceira árvore entendeu que nela havia sido pregado um homem para salvação da humanidade, e que as pessoas sempre se lembrariam de Deus e de Seu Filho Jesus Cristo ao olharem para ela.
Eis a moral da história: as árvores tinham sonhos, mas as suas realizações foram mil vezes melhores e mais sábias do que haviam imaginado.

ENTREVISTA COM DEUS

Entra ! - disse Deus - Queres entrevistar-me?
Bem, - respondi - se tens algum tempo para mim.
Ele sorri atrás da barba e diz:
O meu tempo chama-se eternidade e chega para tudo!
O que é que queres saber?
Nada que seja muito difícil para Deus.
Quero saber: o que é que mais te diverte nos seres humanos?
Ele respondeu:
Eles fartam-se de ser crianças, têm pressa por crescer e depois suspiram por voltarem a ser crianças ...
Primeiro perdem a saúde para ter dinheiro e logo em seguida perdem o dinheiro para ter saúde ...
Pensam tão ansiosamente no futuro que descuidam do presente ,e assim, nem vivem o presente, nem o futuro ...
Vivem como se fossem morrer e MORREM COMO SE NÃO TIVESSEM VIVIDO !
Autor Desconhecido

Pegadas Na Areia

Uma noite eu tive um sonho.
Sonhei que estava andando na praia com o Senhor,
E através do Céu, passavam cenas de minha vida.
Para cada cena que passava, percebi pegadas na areia;
Uma era minha e a outra do Senhor.
Quando a última cena de minha vida passou diante de nós,
olhei para as pegadas na areia,
Notei que muitas vezes no caminho da minha vida
havia apenas um par de pegadas na areia.
Notei também que isso aconteceu nos momentos mais difíceis
da minha vida.
Isso aborreceu-me deveras e perguntei então ao Senhor:
- Senhor, Tu me disseste que,uma vez que eu resolvi Te seguir,
Tu andarias sempre comigo, todo o caminho,
- Mas notei que nos momentos das maiores atribulações do meu viver havia na
areia dos caminhos da vida, apenas um par de pegadas.
- Não compreendo...
Porque nas horas em que eu mais necessitava Tu me deixastes?
O Senhor respondeu:
- Meu precioso filho, Eu te amo e jamais te deixaria nas horas da tua prova e do
teu sofrimento.
Quando vistes na areia apenas um par de pegadas,
foi exatamente aí que
EU TE CARREGUEI EM MEUS BRAÇOS!

Não Dá Para Perder a Fé

Certa noite eu estava fazendo tudo para ajudar uma mãe em trabalho de parto. Apesar do esforço ela não resistiu e nos deixou com um bebê prematuro e uma filha de dois anos em pranto.

Era muito complicado manter o bebê vivo sem uma incubadora (Não tínhamos eletricidade). Também não tínhamos recursos adequados para sua alimentação.

mesmo morando na linha do Equador, as noites eram, não raro, frias com aragens traiçoeiras.

Uma das aprendizes de parteira foi buscar a caixa que reservávamos a tais bebês e os panos de algodão para envolvê-los.

Uma outra foi alimentar o fogo para aquecer uma chaleira de água para a bolsa de água quente.

Sem demora, retornou desconsolada pois a bolsa havia rompido.

"Muito bem", disse eu, coloque o bebê em segurança tão próximo quanto possível do fogo e durmam entre a porta e o bebê para protegê-lo das lufadas de vento frio. Mantenham o bebê aquecido.

Na tarde seguinte, fui orar com as órfãs que eventualmente quisessem se reunir comigo. Fiz uma série de sugestões que pudessem despertá-las a orar e, também, contei-lhes sobre o bebê.

Expliquei nossa dificuldade em manter o bebê aquecido em função da única bolsa de água que havia estourado. E que o bebê poderia morrer de frio.

Mencionei à irmãzinha de 2 anos, que não parava de chorar, a perda e ausência da mãe.

Durante as orações, uma das meninas de dez anos, uma de nossas crianças africanas, orou:

"Por favor, Deus, manda-nos uma bolsa de água quente. Amanhã já vai ser tarde, Deus, por que o bebê pode não agüentar. Por isso, manda a bolsa ainda hoje!"

Enquanto eu ainda procurava recuperar o ar diante de tamanha audácia, num colorário, acrescentou:

"E já que, Deus, estás cuidando disso, por favor, manda junto uma boneca para a irmãzinha dela para que ela saiba que também a ama de verdade."

Poderia eu honestamente dizer amém? Eu simplesmente não poderia acreditar que Deus poderia fazê-lo. A Bíblia diz isso: Não há limites. Ou não?

No dia seguinte, fui avisado de que um carro deixou um pacote de 11kg na varanda de casa.

Meus olhos lacrimejaram. Seria possível??? Não consegui abrir o pacote sozinha e solicitei que algumas crianças do orfanato me ajudassem.

A camada de cima do pacote era repleta de roupinhas cintilantes.  As crianças ficaram radiantes enquanto eu as distribuía. Depois vieram ataduras para os leprosos, caixinhas de uvas passas, farinha e, pasmem!: uma bolsa de água quente novinha.

A garotinha da oração quando viu gritou: "Se Deus mandou a bolsa, também mandou a boneca!"

Enfiando as mãos no pacote, encontrou uma linda boneca e disse:" Posso ir junto para entregar a boneca?? Para ela ver o quanto Jesus a ama???"

O curioso é que este pacote havia sido mandado há cinco meses por uma ex-professora da escola bíblica, mas chegou na hora certa para confirmar a fé de uma garotinha de 10 anos

Tapete Vermelho

Uma pobre mulher morava em uma humilde casinha com sua neta muito doente. Como não tinha dinheiro sequer para levá-la a um médico, e vendo que, apesar de seus muitos cuidados e remédios com ervas, a pobre criança piorava a cada dia, resolveu iniciar a caminhada de 2 horas até a cidade próxima em busca de ajuda. Chegando no único hospital público da região foi aconselhada a voltar pra casa e trazer a neta para que esta fosse examinada. Quando ia voltando, já desesperada por saber que sua neta não conseguia sequer levantar da cama, a senhora passou em frente a uma Igreja e como tinha muita fé em Deus, apesar de nunca ter entrado em uma Igreja, resolveu pedir ajuda.
Ao entrar, encontrou algumas senhoras ajoelhadas no chão fazendo orações.
As senhoras receberam a visitante e, após se inteirarem da história, a convidaram para se ajoelhar e orar pela criança. Após quase uma hora de fervorosas orações e pedidos de intercessão ao Pai, as senhoras já iam se levantando quando a mulher lhes disse:
- Eu também gostaria de fazer uma oração.
Vendo que se tratava de uma mulher de pouca cultura, as senhoras retrucaram:
- Não é necessário. Com nossas orações, com certeza sua neta irá melhorar.
Ainda assim a senhora insistiu em orar, e começou:
- Deus, sou eu, olha. A minha neta está muito doente Deus, assim eu gostaria que você fosse lá curar ela. Deus, você pega uma caneta que eu vou dizer onde fica.
As senhoras estranharam, mas continuaram ouvindo.
- Já está com a caneta Deus? Você vai seguindo o caminho daqui de volta pra Belo Horizonte e quando passar o rio com a ponte você entra na segunda estradinha de barro, não vai errar tá.
A esta altura as senhoras já estavam se esforçando para não rir; mas ela continuou.
- Seguindo mais uns 20 minutinhos tem uma vendinha, entra na rua depois da mangueira que o meu barraquinho é o último da rua, pode ir entrando que não tem cachorro.
- Olha Deus, a porta tá trancada, mas a chave fica embaixo do tapetinho vermelho na entrada, o senhor pega a chave, entra e cura a minha netinha. Mas olha só Deus, por favor, não esquece de colocar a chave de novo embaixo do tapetinho vermelho senão eu não consigo entrar quando chegar em casa...
A esta altura as senhoras interromperam aquela ultrajante situação dizendo que não era assim que se deveria orar, mas que ela poderia ir pra casa sossegada, pois elas eram pessoas de muita fé, e Deus, com certeza, iria ouvir as preces e curar a menina.
A mulher foi pra casa um pouco desconsolada, mas ao entrar em sua casinha sua neta veio correndo lhe receber.
- Minha neta, você está de pé, como é possível! E a menina explicou:
- Eu ouvi um barulho na porta e pensei que era a senhora voltando, porém entrou um homem muito alto com um vestido branco em meu quarto e mandou que eu levantasse. Não sei como, mas eu simplesmente levantei. E, quase em prantos, a menina continuou:
- Depois ele sorriu, beijou minha testa e disse que tinha de ir embora, mas pediu que eu avisasse a senhora que ele ia deixar a chave embaixo do tapetinho vermelho...
O mais importante na vida é ACREDITAR

DEUS E VOCÊ

Só Deus pode criar
Mas você pode valorizar o que Ele criou
Só Deus pode dar a vida
Mas você pode transmiti-la e respeitá-la
Só Deus pode dar a saúde
Mas você pode orientar e guiar
Só Deus pode dar a fé
Mas você pode dar o seu testemunho
Só Deus pode infundir esperança
Mas você pode restituir a confiança ao irmão
Só Deus pode dar o amor
Mas você pode ensinar o seu irmão a amar
Só Deus pode dar a paz
Mas você pode semear a união
Só Deus pode dar a alegria
Mas você pode sorrir a todos
Só Deus pode dar a força
Mas você pode apoiar quem desanimou
Só Deus é o caminho
Mas você pode indicá-lo aos outros
Só Deus é a luz
Mas você pode fazê-la brilhar aos olhos dos seus irmãos
Só Deus é a vida
Mas você pode restituir aos outros o desejo de viver
Só Deus pode fazer milagres
Mas você pode ser aquele que trouxe os cinco pães e os dois peixes
Só Deus pode fazer o que parece impossível
Mas você pode fazer o possível
Só Deus se basta a si mesmo, Mas ele preferiu contar com você.
Autor Desconhecido

A Força da Fé


Vou buscar, meu Deus,
nem que em águas distantes,
nem que preciso for mover céus e terras estranhas,
desbravar as matas,
enfrentar perigos angustiantes,
lutar sem armas, galgando as mais altas montanhas.
Vou buscar, Senhor,
um porto novo e seguro,
onde o barco de minha vida ancore com firmeza,
onde meus pés não encontrem
caminho impuro
e os meus anseios se emoldurem pela natureza.
Vou buscar, Senhor,
esta paz tão almejada,
expandindo todo o ser que meu peito habita.
Vou em busca da quimera
por demais sonhada
e chegar até onde meu caminhar permita.
Vencerei as angústias
de perguntas sem respostas.
Inverterei o rumo que não me foi destinado.
Despojada do fardo
que pesava em minhas costas,
seguirei tranqüila ao amanhã tão esperado!
Levarei, Senhor,
comigo somente os sonhos
eivados de esperança e do verdadeiro amor.
Deixarei para trás
os restos tristonhos
de um passado sem vida, sem rumo, sem cor...
Autora: Cleide Canton Garcia

Férias

Lá estava eu com a minha família, de ferias, num acampamento isolado, com carro enguiçado.
Isso aconteceu há 10 anos, mas lembro-me disso como se fosse ontem.
Tentei dar a partida no carro. Nada.
Caminhei para fora do acampamento e felizmente meus palavrões foram abafados pelo barulho do riacho que passava por ali.
Minha mulher e eu concluímos que éramos vitimas de uma bateria descarregada.
Sem alternativa, decidi voltar á pé até uma vila mais próxima, a alguns quilômetros de distância.
Duas horas e um tornozelo torcido, cheguei finalmente a um posto de gasolina.
Ao me aproximar do posto, dei-me conta de que era domingo de manhã.
O lugar estava fechado, mas havia um telefone público e uma lista telefônica caindo aos pedaços. Telefonei para a única companhia de auto-socorro localizada na cidade vizinha, a cerca de 30 kms de distância.
Zé atendeu o telefone e me ouviu enquanto eu explicava meus apuros. -Não tem problema - ele disse quando dei minha localização - normalmente estou fechado aos domingos, mas posso chegar aí em mais ou menos meia hora.
Fiquei aliviado que estivesse vindo, mas ao mesmo tempo consciente das implicações financeiras que essa oferta de ajuda significaria.
Ele chegou em seu reluzente caminhão-guincho e nos dirigimos para a área de acampamento.
Quando saí do caminhão, me virei e observei com espanto o Zé descer com aparelhos na perna e a ajuda de muletas.- Ele era paraplégico!
Enquanto ele se movimentava, comecei novamente minha ginástica mental em calcular o preço da sua boa vontade.
É só uma bateria descarregada, uma pequena carga elétrica e vocês poderão ir embora.
O Zé ! reativou a bateria e enquanto ela recarregava, distraiu meu filho pequeno com truques de mágica.
Ele até mesmo tirou uma moeda da orelha e deu para meu filho.
Enquanto ele colocava os cabos de volta no caminhão, perguntei quanto lhe devia.
Oh! nada - respondeu, para minha surpresa.
Tenho que lhe pagar alguma coisa.
Não - ele reiterou. Há muitos anos atrás, alguém me ajudou a sair de uma situação pior do que esta, quando perdi as minhas pernas, e o sujeito me disse apenas para "passar isso adiante".
Portanto, você não me deve nada.
Apenas lembre-se: Quando tiver uma chance, "passe isso adiante".
Cerca de dez anos após, no meu movimentado consultório onde freqüentemente treino estudantes de medicina, Maria, uma aluna do segundo ano de uma faculdade de outra cidade veio passar um mês no meu consultório para que pudesse ficar com a mãe, que morava na região.
Acabamos de atender a uma paciente cuja vida fora destruída pelas drogas e pelo abuso do álcool e de repente, noto que Maria tem seus olhos cheios de lágrimas.
Você não se sente bem por ver este tipo de paciente? - perguntei.
Não - Maria respondeu soluçando - é simplesmente que minha mãe poderia ser esta paciente.
Ela tem o mesmo problema.
Durante o horário de almoço, conversamos sobre a trágica historia da mãe alcoólatra de Maria.
Chorosa e angustiada, ela abriu o coração ao contar os anos de ressentimento, vergonha e hostilidade que haviam marcado a existência de sua família.
Dei-lhe a esperança de colocar a mãe sob tratamento.
Depois de ser bastante encorajada por um conselheiro treinado que indiquei e por outros membros da família, a mãe de Maria consentiu em se submeter a um tratamento.
Ficou internada no hospital especializado por varias semanas e, quando saiu, era uma outra pessoa.
A família de Maria quase tinha sido destruída e pela primeira vez puderam ! sentir um pouco de esperança.
Como posso lhe agradecer? - perguntou Maria.
Quando me lembrei daquele acampamento distante e do bom samaritano paraplégico, eu soube que só poderia lhe dar uma resposta:
Apenas passe adiante.

Somos anjos de uma asa só, precisamos nos abraçar para alçar vôo.
Autor Desconhecido

Ciumes Destruidor

A vida de Ana se tornara muito ruim, desde o momento em que começou a desconfiar que Artur, seu marido, tinha outra mulher.
Ana olhava para ele e se sentia traída.

Toda vez que Artur chegava atrasado do trabalho, mesmo que dissesse que fora o trânsito complicado ou uma reunião de última hora, ela pensava:

- Demorou por causa da outra. Devem ter se encontrado hoje. Por isso se atrasou.
A paz do lar ficou comprometida. Ele chegava cansado, ela estava mal-humorada e procurava todos os motivos para reclamar. Por vezes, ela surpreendia Artur dispersivo, distante. O pensamento longe. Era o suficiente para pensar consigo mesma:
- Hummm, olhe só como está pensativo! Aposto que está pensando nela.

Finalmente, um dia, ela resolveu seguir o marido para o surpreender. Esperou-o na saída do trabalho. Ele pegou o carro, andou algumas quadras e parou na floricultura.
Ela viu quando ele escolheu as maravilhosas flores e saiu carregando-as com carinho.
- Mau-caráter - pensou ela - gastando com outra.
Aquilo a deixou de tal forma desconsertada, que começou a chorar. Foi para casa e se jogou na cama.
Chorou muito.

Pouco depois, ela ouviu a porta abrir e seu marido chegar. Escutou os passos dele na escada, subindo até o quarto do casal, onde ela estava.
Mal o viu adentrar o quarto, ela se sentou na cama, os olhos vermelhos de chorar, os cabelos em desalinho e desabafou:
- Eu vi tudo. Você não pode negar. Comprou flores para ela. Rosas vermelhas maravilhosas. Você me traiu. Traiu o nosso amor.

Alterada, ela se levantou e avançou na direção dele, mas para sua surpresa, ele trazia nas mãos o lindo ramalhete de rosas vermelhas.
Um pouco chateado, estendendo o ramalhete para ela, ele falou:
- Hoje é dia do nosso aniversário de casamento. Você nem se lembrou

Lenda Árabe

Diz uma linda lenda árabe que dois amigos
viajavam pelo deserto e em um determinado
ponto da viagem discutiram.
O amigo ofendido, sem nada dizer,
escreveu na areia:
HOJE, MEU MELHOR AMIGO ME BATEU NO ROSTO.
Seguiram e chegaram a um oásis
onde resolveram banhar-se.
O que havia sido esbofeteado começou a
afogar-se sendo salvo pelo amigo.
Ao recuperar-se pegou um estilete
e escreveu numa pedra:
HOJE, MEU MELHOR AMIGO SALVOU-ME A VIDA.
Intrigado, o amigo perguntou:
Por que depois que te bati,
você escreveu na areia e agora que te salvei,
escrevestes na pedra?
Sorrindo, o outro amigo respondeu:
Quando um grande amigo nos ofende,
devemos escrever na areia onde o vento
do esquecimento e do perdão se encarregam de apagar.
Porém quando nos faz algo grandioso,
devemos gravar na pedra da memória e do coração;
onde vento nenhum do mundo poderá apagar. 

O TREM DA VIDA

Quando nascemos, entramos nesse trem e nos deparamos com algumas pessoas que, julgamos, estarão sempre nessa viagem conosco: nossos pais. Infelizmente, isto não é verdade. Em alguma estação, eles descerão e nos deixarão órfãos do seu carinho, amizade e companhia insubstituíveis, mas isto não impede que, durante a viagem, pessoas interessantes e que virão a ser super especiais para nós, embarquem: nossos irmãos, amigos e amores inesquecíveis. Muitas pessoas tomam o trem, apenas, a passeio. Outros encontrarão nessa viagem, somente, tristezas. Outros, ainda, circularão pelo trem, sempre prontos a ajudar a quem precisa. Muitos descem e deixam saudades eternas. Outras tantas passam por ele de uma forma que, quando desocupam seu assento, ninguém sequer o percebe. Curioso é constatar que alguns passageiros que nos são tão caros, acomodam-se em vagões diferentes dos nossos e somos obrigados a fazer esse trajeto separados deles, o que não impede, é claro, que durante a viagem, atravessemos, com grande dificuldade, o nosso vagão, a fim de chegarmos até eles... só que, infelizmente, jamais poderemos sentar ao seu lado, pois já haverá alguém ocupando aquele lugar. E assim é a viagem, cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, despedidas... porém, jamais, retornos. Façamos, pois, essa viagem, então, da melhor maneira possível, tentando nos relacionar bem com todos os passageiros, procurando, em cada um deles, os que tiverem de melhor, lembrando sempre, que em algum momento do trajeto, eles poderão fraquejar e, provavelmente, precisaremos entender isto, porque nós, também, fraquejamos muitas vezes e, com certeza, haverá alguém que nos entenderá. O grande mistério, afinal, é que jamais saberemos em qual parada desceremos, muito menos os nossos companheiros de viagem, nem mesmo aquele que está sentado ao nosso lado. Eu fico pensando se, quando descer desse trem, sentirei saudades... Acredito que sim. Separa-me de alguns amigos que fiz nessa viagem, será, no mínimo, dolorido, como deixar meus filhos, fazendo a viagem sozinho. Isto, com certeza, será muito triste, mas, me agarro a esperança de que, em algum momento, estarei na estação principal e terei a grande emoção de vê-los chegar com uma bagagem que não tinham quando embarcaram... e o que vai me deixar feliz será verificar que eu colaborei para que ela tenha crescido e se tornado valiosa. Amigo, façamos com que a nossa estada, nesse trem da vida, seja tranqüila, que tenha valido a pena e que, quando chegar a hora de desembarcamos, o nosso vazio deixe saudades e boas recordações para todos aqueles que prosseguirem a viagem...
Autor desconhecido

História

Minha mãe sempre contava uma história assim:
Havia uma jovem muito rica, que tinha tudo, um marido maravilhoso, filhos
perfeitos, um emprego que lhe pagava muitíssimo bem, uma família unida.
O estranho é que ela não conseguia conciliar tudo isso,
o trabalho e os afazeres lhe ocupavam todo o tempo e a sua vida sempre
estava deficitária em alguma área. Se o trabalho lhe consumia muito tempo,
ela tirava dos filhos, se surgiam problemas, ela deixava de lado o marido.
E assim, as pessoas que ela amava eram sempre deixadas para depois.
Até que um dia, seu pai, um homem muito sábio, lhe deu um presente:
Uma flor caríssima e raríssima, da qual só havia um exemplar em todo o mundo.
E disse à ela: _Filha, esta flor vai te ajudar muito mais do que você imagina!
Você terá apenas que regá-la e podá-la de vez em quando, e às vezes
conversar um pouquinho com ela, e ela te dará em troca esse perfume
maravilhoso e essas lindas flores. A jovem ficou muito emocionada,
afinal a flor era de uma beleza sem igual. Mas o tempo foi passando,
os problemas surgiam, o trabalho consumia todo o seu tempo, e a sua vida,
que continuava confusa, não lhe permitia cuidar da flor.
Ela chegava em casa, olhava a flor e as flores ainda estavam lá,
não mostravam sinal de fraqueza ou morte, apenas estavam lá, lindas,
perfumadas. Então ela passava direto. Até que um dia, sem mais nem menos,
a flor morreu. Ela chegou em casa e levou um susto!
Estava completamente morta, suas raízes estavam ressecadas, suas flores
caídas e suas folhas amarelas. A jovem chorou muito, e contou a seu pai
o que havia acontecido. Seu pai então respondeu:
Eu já imaginava que isso aconteceria, e eu não posso te dar outra flor,
porque não existe outra igual a essa, ela era única, assim como seus filhos,
seu marido e sua família. Todos são bênçãos que o Senhor te deu, mas você
tem que aprender a regá-los, podá-los e dar atenção a eles, pois assim
como a flor, os sentimentos também morrem.
Você se acostumou a ver a flor sempre lá, sempre florida,
sempre perfumada, e se esqueceu de cuidar dela.
Cuide das pessoas que você ama!
(Autor desconhecido}

Flor da Honestidade

Conta-se que por volta do ano 250 a.C, na China antiga, um príncipe da região norte do país, estava às vésperas de ser coroado imperador, mas, de acordo com a lei, ele deveria se casar.

Sabendo disso, ele resolveu fazer uma "disputa" entre as moças da corte ou quem quer que se achasse digna de sua proposta. No dia seguinte, o príncipe anunciou que receberia, numa celebração especial, todas as pretendentes e lançaria um desafio.

Uma velha senhora, serva do palácio há muitos anos, ouvindo os comentários sobre os preparativos, sentiu uma leve tristeza, pois sabia que sua jovem filha nutria um sentimento de profundo amor pelo príncipe.

Ao chegar em casa e relatar o fato à jovem, espantou-se ao saber que ela pretendia ir à celebração, e indagou incrédula:

- Minha filha, o que você fará lá? Estarão presentes todas as mais belas e ricas moças da corte. Tire esta idéia insensata da cabeça, eu sei que você deve estar sofrendo, mas não torne o sofrimento uma loucura.

E a filha respondeu:

- Não, querida mãe, não estou sofrendo e muito menos louca, eu sei que jamais poderei ser a escolhida, mas é minha oportunidade de ficar pelo menos alguns momentos perto do príncipe, isto já me torna feliz.

À noite, a jovem chegou ao palácio. Lá estavam, de fato, todas as mais belas moças, com as mais belas roupas, com as mais belas jóias e com as mais determinadas intenções. Então, finalmente, o príncipe anunciou o desafio:

- Darei a cada uma de vocês, uma semente. Aquela que, dentro de seis meses, me trouxer a mais bela flor, será escolhida minha esposa e futura imperatriz da china.

A proposta do príncipe não fugiu às profundas tradições daquele povo, que valorizava muito a especialidade de "cultivar" algo, sejam costumes, amizades, relacionamentos etc...

O tempo passou e a doce jovem, como não tinha muita habilidade nas artes da jardinagem, cuidava com muita paciência e ternura a sua semente, pois sabia que se a beleza da flor surgisse na mesma extensão de seu amor, ela não precisava se preocupar com o resultado.

Passaram-se três meses e nada surgiu. A jovem tudo tentara, usara de todos os métodos que conhecia, mas nada havia nascido. Dia após dia ela percebia cada vez mais longe o seu sonho, mas cada vez mais profundo o seu amor.

Por fim, os seis meses haviam passado e nada havia brotado. Consciente do seu esforço e dedicação a moça comunicou a sua mãe que, independente das circunstâncias retornaria ao palácio, na data e hora combinadas, pois não pretendia nada além de mais alguns momentos na companhia do príncipe.

Na hora marcada estava lá, com seu vaso vazio, bem como todas as outras pretendentes, cada uma com uma flor mais bela do que a outra, das mais variadas formas e cores.

Ela estava admirada, nunca havia presenciado tão bela cena.

Finalmente chega o momento esperado e o príncipe observa cada uma das pretendentes com muito cuidado e atenção. Após passar por todas, uma a uma, ele anuncia o resultado e indica a bela jovem como sua futura esposa.

As pessoas presentes tiveram as mais inesperadas reações. Ninguém compreendeu porque ele havia escolhido justamente aquela que nada havia cultivado. Então, calmamente o príncipe esclareceu:

- Esta foi a única que cultivou a flor que a tornou digna de se tornar uma imperatriz. A flor da honestidade, pois todas as sementes que entreguei eram estéreis.

A honestidade é como uma flor tecida em fios de luz, que ilumina quem a cultiva e espalha claridade ao redor.

A MULHER E OS 3 HOMENS

Uma mulher saiu de sua casa e viu três homens com longas barbas brancas sentados em frente ao quintal dela. Ela não os reconheceu.
Ela disse: Acho que não os conheço, mas devem estar com fome. Por favor entrem e comam algo.
O homem da casa está ? Perguntaram.
Não, ela disse, está fora.
Então não podemos entrar. Eles responderam.
À noite quando o marido chegou, ela contou-lhe o que aconteceu.
Vá diga que estou em casa e convide-os a entrar.
A mulher saiu e convidou-os a entrar.
Não podemos entrar juntos. Responderam.
Por que isto ? Ela quis saber.
Um dos velhos explicou-lhe : Seu nome é Fartura. Ele disse apontando um dos seus amigos e mostrando o outro, falou:
Ele é o Sucesso e eu sou o Amor.
E completou : Agora vá e discuta com o seu marido qual de nós você quer em sua casa.
A mulher entrou e falou ao marido o que foi dito. Ele ficou arrebatado e disse:
Que bom !
Ele disse : Neste caso. vamos convidar Fartura. Deixe-o vir e encher nossa casa de fartura.
A esposa discordou : Meu querido, por que não convidamos o Sucesso?
A cunhada deles ouvia do outro canto da casa.
Ela apresentou sua sugestão : Não seria melhor convidar o Amor ? Nossa casa então estará cheia de amor.
Atentamos pelo conselho da nossa cunhada. Disse o marido para a esposa.
Vá lá fora e chame o amor para ser nosso convidado.
A mulher saiu e perguntou aos três homens : Qual de vocês é o amor ? Por favor entre e seja nosso convidado.
O amor levantou-se e seguiu em direção à casa.
Os outros dois levantaram-se e seguiram-no.
Surpresa a senhora perguntou-lhes: Apenas convidei o Amor, por que vocês entraram?
Os velhos homens responderam juntos : Se você convidasse o Fartura ou o Sucesso, os outros dois esperariam aqui fora, mas se você convidar o Amor, onde ele for iremos com ele.
Onde há amor, há também fartura e sucesso !!!
Nosso desejo para você :
Onde há dor, desejamos paz e perdão.
Onde há dúvidas próprias, desejamos confiança renovada em sua capacidade de lidar com elas.
Onde há cansaço, ou exaustão, desejamos compreensão, paciência e força renovada.
Onde há medo, desejamos amor e coragem.
Autor Desconhecido

mensagem de reflexão

topoporteiro

Não havia no povoado pior ofício do que "porteiro do prostíbulo". Mas que outra coisa poderia fazer aquele homem? O fato é que nunca tinha aprendido a ler nem escrever, não tinha nenhuma outra atividade ou ofício.
Um dia, entrou como gerente do prostíbulo um jovem cheio de idéias, criativo e empreendedor, que decidiu modernizar o estabelecimento.
Fez mudanças e chamou os funcionários para as novas instruções. Ao porteiro disse:
- A partir de hoje, o Senhor, além de ficar na portaria, vai preparar um relatório semanal onde registrará a quantidade de pessoas que entram e seus comentários e reclamações sobre os serviços.
- Eu adoraria fazer isso, Senhor - balbuciou - mas eu não sei ler nem escrever!
- Ah! Quanto eu sinto! Mas se é assim, já não poderá seguir trabalhando aqui.
- Mas Senhor, não pode me despedir, eu trabalhei nisto a minha vida inteira, não sei fazer outra coisa.
- Olhe, eu compreendo, mas não posso fazer nada pelo Senhor. Vamos dar-lhe uma boa indenização e espero que encontre algo que fazer. Eu sinto muito e que tenha sorte.
Sem mais nem menos, deu meia volta e foi embora. O porteiro sentiu como se o mundo desmoronasse. Que fazer?
Lembrou que no prostíbulo, quando quebrava alguma cadeira ou mesa, ele a arrumava, com cuidado e carinho. Pensou que esta poderia ser uma boa ocupação até conseguir um emprego. Mas só contava com alguns pregos enferrujados e um alicate mal conservado.
Usaria o dinheiro da indenização para comprar uma caixa de ferramentas completa.
Como o povoado não tinha casa de ferragens, deveria viajar dois dias em uma mula para ir ao povoado mais próximo para realizar a compra. E assim o fez.
No seu regresso, um vizinho bateu à sua porta:
- Venho para perguntar se você tem um martelo para me emprestar.
- Sim, acabo de compra-lo, mas eu preciso dele para trabalhar ... já que ...
- Bom, mas eu o devolverei amanhã bem cedo.
- Se é assim, está bom.
Na manhã seguinte, como havia prometido, o vizinho bateu à porta e disse:
- Olha, eu ainda preciso do martelo. Porque você não o vende para mim?
- Não, eu preciso dele para trabalhar e além do mais, a casa de ferragens mais próxima está a dois dias mula de viagem. Façamos um trato - disse o vizinho. Eu pagarei os dias de ida e volta mais o preço do martelo, já que você está sem trabalho no momento. Que lhe parece?
Realmente, isto lhe daria trabalho por mais dois dias... aceitou.
Voltou a montar na sua mula e viajou. No seu regresso, outro vizinho o esperava na porta de sua casa.
- Olá, vizinho. Você vendeu um martelo a nosso amigo. Eu necessito de algumas ferramentas, estou disposto a pagar-lhe seus dias de viagem, mais um pequeno lucro para que você as compre para mim, pois não disponho de tempo para viajar para fazer compras. Que lhe parece?
O ex-porteiro abriu sua caixa de ferramentas e seu vizinho escolheu um alicate, uma chave de fenda, um martelo e uma talhadeira. Pagou e foi embora. E nosso amigo guardou as palavras que escutara: "não disponho de tempo para viajar para fazer compras".
Se isto fosse certo, muita gente poderia necessitar que ele viajasse para trazer as ferramentas.
Na viagem seguinte, arriscou um pouco mais de dinheiro trazendo mais ferramentas do que as que havia vendido.
De fato, poderia economizar algum tempo em viagens. A notícia começou a se espalhar pelo povoado e muitos, querendo economizar a viajem, faziam encomendas.
Agora, como vendedor de ferramentas, uma vez por semana viajava e trazia o que precisavam seus clientes.
Com o tempo, alugou um galpão para estocar as ferramentas e alguns meses depois, comprou uma vitrine e um balcão e transformou o galpão na primeira loja de ferragens do povoado.
Todos estavam contentes e compravam dele. Já não viajava, os fabricantes lhe enviavam seus pedidos. Ele era um bom cliente.
Com o tempo, as pessoas dos povoados vizinhos preferiam comprar na sua loja de ferragens, do que gastar dias em viagens.
Um dia ele lembrou de um amigo seu que era torneiro e ferreiro e pensou que este poderia fabricar as cabeças dos martelos. E logo, por que não, as chaves de fendas, os alicates, as talhadeiras, etc.. E após foram os pregos e os parafusos...
Em poucos anos, nosso amigo se transformou, com seu trabalho, em um rico e próspero fabricante de ferramentas.
Um dia decidiu doar uma escola ao povoado. Nela, além de ler e escrever, as crianças aprenderiam algum ofício.
No dia da inauguração da escola, o prefeito lhe entregou as chaves da cidade, o abraçou e lhe disse:
- É com grande orgulho e gratidão que lhe pedimos que nos conceda a honra de colocar a sua assinatura na primeira página do Livro de Atas desta nova escola.
- A honra seria minha - disse o homem. Seria a coisa que mais me daria prazer, assinar o Livro, mas eu não sei ler nem escrever, sou analfabeto.
- O Senhor?!?! - disse o prefeito sem acreditar. O Senhor construiu um império industrial sem saber ler nem escrever? Estou abismado. Eu pergunto: o que teria sido do Senhor se soubesse ler e escrever?
- Isso eu posso responder - disse o homem com calma. Se eu soubesse ler e escrever ... ainda seria o porteiro do prostíbulo!
Geralmente as mudanças são vistas como adversidades. As adversidades podem ser bênçãos. As crises estão cheias de oportunidades.
Se alguém lhe bloquear a porta, não gaste energia com o confronto, procure as janelas. Lembre-se da sabedoria da água: "a água nunca discute com seus obstáculos, mas os contorna.

Autor Desconhecido

O Cachorrinho

Diante de uma vitrine atrativa, um menino perguntou o preço dos filhotes à venda.
"Entre 30 e 50 dólares", respondeu o dono da loja.
O menino puxou uns trocados do bolso e disse: "Eu só tenho US$2,37, mas posso ver os filhotes?"
O dono da loja sorriu e chamou Lady, que veio correndo, seguida de cinco bolinhas de pelo.
Um dos cachorrinhos vinha mais atrás, mancando de forma visível.
Imediatamente, o menino apontou aquele cachorrinho e perguntou: "O que e' que ha' com ele?"
O dono da loja explicou que o veterinário o tinha examinado e descoberto que ele tinha um problema na junta do quadril, sempre mancaria e andaria devagar.
O menino se animou e disse: "Esse e' o cachorrinho que eu quero comprar."
O dono da loja respondeu: "Não, você não vai querer comprar esse.
Se você realmente quiser ficar com ele, eu lhe dou de presente."
O menino ficou transtornado e, olhando bem na cara do dono da loja, com o seu dedo apontado, disse: "Eu não quero que você o dê para mim.
Aquele cachorrinho vale tanto quanto qualquer um dos outros e eu vou pagar tudo.
Na verdade, eu lhe dou US$2,37 agora e 50 centavos por mês, até completar o preço total."
O dono da loja contestou: "Você não pode querer realmente comprar este cachorrinho.
Ele nunca vai poder correr, pular e brincar com você e com os outros cachorrinhos."
Então, o menino abaixou-se e puxou a perna esquerda da calça para cima, mostrando a sua perna com um aparelho para andar.
Olhou bem para o dono da loja e respondeu:
"Bom, eu também não corro muito bem e o cachorrinho vai precisar de alguém que entenda isso."
Autor Desconhecido

Filho

Dois irmãozinhos brincavam em frente de casa, jogavam bolinhas de gude. Quando Júlio o menino mais novo disse ao irmão Ricardo:
- Meu querido irmão, eu te amo muito e nunca quero me separar de você!
Ricardo sem dar muita importância ao que Júlio disse, pergunta:
- O que deu em você moleque? Que conversa besta é essa de amar? Quer calar a boca e continuar jogando?
E os dois continuaram jogando a tarde inteira até anoitecer.
À noite o senhor Jacó, pai dos garotos chegou do trabalho, estava exausto e muito mal humorado, pois não havia conseguido fechar um negócio importante.
Ao entrar, Jacó olhou para Júlio que sorriu para o pai e disse:
- Olá papai, eu te amo muito e não quero nunca me separar do senhor!
Jacó no auge de seu mal humor e stress disse:
- Júlio, estou exausto e nervoso, então por favor não me venha com besteiras!
Com as palavras ásperas do pai, Júlio ficou magoado e foi chorar no cantinho do quarto.
Dona Joana, mãe dos garotos sentindo a falta do filho foi procurá-lo pela casa, até que o encontrou no cantinho do quarto com os olhinhos cheios de lágrimas.
Dona Joana espantada começou a enxugar as lágrimas do filho e perguntou:
- O que foi Júlio, porque choras?
Júlio olhou para a mãe, com uma expressão triste e lhe disse:
- Mamãe, eu te amo muito e não quero nunca me separar da senhora!
Dona Joana sorriu para o filho e lhe disse:
- Meu amado filho, ficaremos sempre juntos
Júlio sorriu, deu um beijo na mãe e foi se deitar. No quarto do casal, ambos se preparando para se deitar, Dona Joana pergunta para seu marido Jacó:
- Jacó, o Júlio está muito estranho hoje, não acha?
Jacó muito estressado com o trabalho disse a esposa:
- Esse moleque só está querendo chamar a tenção...Deita e dorme mulher!
Então todos se recolheram e todos dormiam sossegados. Júlio foi ao quarto de seu irmão Ricardo e fica observando ele dormir...
Ricardo incomodado com a claridade acorda e grita com Júlio:
- Seu louco, apaga essa luz e me deixa dormir!
Júlio em silêncio obedeceu o irmão, apagou a luz e se dirigiu ao quarto dos pais...
Chegando ao quarto de seus pais acendeu a luz e ficou observando seu pai e sua mãe dormirem.
- O que aconteceu Júlio?
Júlio em silencio só balançou a cabeça em sinal negativo, respondendo ao pai que nada havia ocorrido. Daí, o senhor Jacó irritado perguntou ao Júlio:
- Então o que foi moleque?
Júlio continuou em silêncio. Jacó já muito irritado berrou com Júlio:
- Então vai dormir, seu doente!
Júlio apagou a luz do quarto se dirigiu ao seu quarto e se deitou. Na manhã seguinte todos se levantaram cedo, pois o senhor Jacó iria trabalhar, a dona Joana levaria as crianças para a escola e Ricardo e Júlio iriam à escola...
Mas Júlio não se levantou. Então o senhor Jacó, que já estava muito irritado com Júlio, entra bufando no quarto do garoto e grita:
- Levanta seu moleque vagabundo!
Júlio nem se mexeu. Então Jacó avança sobre o garoto e puxa com força o cobertor do menino com o braço direito levantado pronto para lhe dar um tapa quando percebe que Júlio estava com os olhos fechados e que estava pálido. Jacó assustado colocou a mão sobre o rosto de Júlio e pôde notar que seu filho estava gelado. Desesperado Jacó gritou chamando a esposa e o filho Ricardo para ver o que havia acontecido com Júlio...
Infelizmente o pior. Júlio estava morto e sem qualquer motivo aparente.
Dona Joana desesperada abraçou o filho morto e não conseguia nem respirar de tanto chorar. Ricardo desconsolado segurou firme a mão do irmão e só tinha forças para chorar também. Jacó em desespero soluçando e com os olhos cheios de lágrimas, percebeu que havia um papelzinho dobrado nas pequenas mãos de Júlio. Jacó então pegou o pequeno pedaço de papel e havia algo escrito com a letra de Júlio.
"Outra noite Deus veio falar comigo através de um sonho, disse a mim que apesar de amar minha família e dela me amar, teríamos que nos separar. Eu não queria isso, mas Deus me explicou que seria necessário. Não sei o que vai acontecer mas estou com muito medo. Gostaria que ficasse claro apenas uma coisa:
- Ricardo, não se envergonhe de amar seu irmão.
- Mamãe, a senhora é a melhor mãe do mundo.
- Papai, o senhor de tanto trabalhar se esqueceu de viver.
- Eu amo todos vocês!"
Quantas vezes não temos tempo para parar e amar, e receber o amor que nos é ofertado? Talvez quando acordarmos possa ser tarde demais...
mas, ainda há tempo!

A professora de Teddy

Relata a Sra. Thompson, que no seu primeiro dia de aula parou em frente aos seus alunos da 5a. série primária e, como todos os demais professores, lhes disse que gostava de todos por igual.
No entanto, ela sabia que isto era quase impossível, já que na primeira fila estava sentado um pequeno garoto chamado Teddy.
A professora havia observado que ele NÃO se dava bem com os colegas de classe e muitas vezes suas roupas estavam sujas e cheiravam mal.
Houve até momentos em que ela sentia prazer em lhe dar notas vermelhas ao corrigir suas provas e trabalhos.
Ao iniciar o ano letivo, era solicitado a cada professor que lesse com atenção a ficha escolar dos alunos, para tomar conhecimento das anotações feitas em cada ano.
A Sra. Thompson deixou a ficha de Teddy por último.
Mas quando a leu foi grande a sua surpresa.
A professora do 1o. ano escolar de Teddy havia anotado o seguinte: Teddy é um menino brilhante e simpático. Seus trabalhos sempre estão em ordem e muito nítidos. Tem bons modos e é muito agradável estar perto dele.
A professora do 2o. ano escreveu: Teddy é um aluno excelente e muito querido por seus colegas, mas tem estado preocupado com sua mãe que está com uma doença grave e desenganada pelos médicos.
A vida em seu lar deve estar sendo muito difícil.
Da professora do 3o. ano constava a anotação seguinte: A morte de sua mãe foi um golpe muito duro para Teddy.
Ele procura fazer o melhor, mas seu pai NÃO tem nenhum interesse e logo sua vida será prejudicada se ninguém tomar providências para ajudá-lo.
A professora do 4o. ano escreveu: Teddy anda muito distraído e não mostra interesse algum pelos estudos. Tem poucos amigos e muitas vezes dorme na sala de aula.
A Sra. Thompson se deu conta do problema e ficou terrivelmente envergonhada.
Sentiu-se ainda pior quando lembrou dos presentes de Natal que os alunos lhe haviam dado, envoltos em papéis coloridos, exceto o de Teddy, que estava enrolado num papel marrom de supermercado.
Lembra-se de que abriu o pacote com tristeza, enquanto os outros garotos riam ao ver uma pulseira faltando algumas pedras e um vidro de perfume pela metade.
Apesar das piadas ela disse que o presente era precioso e pôs a pulseira no braço e um pouco de perfume sobre a mão.
Naquele dia Teddy ficou um pouco mais de tempo na escola do que o de costume. Lembrou-se ainda, que Teddy lhe disse que ela estava cheirosa como sua mãe.
Naquele dia, depois que todos se foram, a professora Thompson chorou por longo tempo...
Em seguida, decidiu-se a mudar sua maneira de ensinar e passou a dar mais atenção aos seus alunos, especialmente a Teddy.
Com o passar do tempo ela notou que o garoto só melhorava. E quanto mais ela lhe dava carinho e atenção, mais ele se animava.
Ao finalizar o ano letivo, Teddy saiu como o melhor da classe. Um ano mais tarde a Sra. Thompson recebeu uma notícia em que Teddy lhe dizia que ela era a melhor professora que teve na vida.
Seis anos depois, recebeu outra carta de Teddy contando que havia concluído o segundo grau e que ela continuava sendo a melhor professora que tivera.
As notícias se repetiram até que um dia ela recebeu uma carta assinada pelo Dr.Theodore Stoddard, seu antigo aluno, mais conhecido como Teddy.
Um dia a Sra. Thompson recebeu outra carta, em que Teddy a convidava para seu casamento e noticiava a morte de seu pai.
Ela aceitou o convite e o dia do casamento estava usando a pulseira que ganhou de Teddy anos antes, e também o perfume.
Quando os dois se encontraram, abraçaram-se por longo tempo e Teddy lhe disse ao ouvido: - Obrigado por acreditar em mim e me fazer sentir importante, demonstrando-me que posso fazer a diferença.
Mas ela, com os olhos banhados em pranto sussurrou baixinho: - Você está enganado! Foi você que me ensinou que eu podia fazer a diferença, afinal eu não sabia ensinar até que o conheci.
Aí está Amigos o valor da ATENÇÃO... o quanto é importante darmos um pouco mais de atenção as pessoas a quem amamos ou que se encontram do nosso lado, sem no entanto, esquecer do outro...
A atenção, carinho e cuidado devem ser somados e nunca dividido. É preciso ouvir os apelos silenciosos que ecoam na alma da pessoa.
Autor Desconhecido

As Três Peneiras

Olavo foi transferido de projeto, logo no primeiro dia, para fazer
média com o novo chefe, saiu-se com esta:
- Chefe, o senhor nem imagina o que me contaram a respeito do Silva.
Disseram que ele...
Nem chegou a terminar a frase, Juliano, o chefe, apartou:
- Espere um pouco, Olavo. O que vai me contar já passou pelo crivo das três peneiras?
- Peneiras? Que peneiras, chefe?
- A primeira, Olavo, é a da VERDADE. Você tem certeza de que esse fato é absolutamente verdadeiro?
- Não. Não tenho, não. Como posso saber? O que sei foi o que me contaram.
Mas eu acho que...
E, novamente, Olavo é interrompido pelo chefe:
- Então sua historia já vazou a primeira peneira. Vamos então para segunda peneira que é a da BONDADE. O que você vai me contar, gostaria que os outros também dissessem a seu respeito?
- Claro que não! Deus me livre, chefe - diz Olavo, assustado.
- Então, - continua o chefe - sua historia vazou a segunda peneira.
- Vamos ver a terceira peneira, que é a da NECESSIDADE. Você acha mesmo necessário me contar esse fato ou mesmo passa-lo adiante?
- Não, chefe. Passando pelo crivo dessas peneiras, vi que não sobrou nada do que eu iria contar - fala Olavo, surpreendido.
- Pois é, Olavo, já pensou como as pessoas seriam mais felizes se todos usassem essas peneiras? diz o chefe e continua:
- Da próxima vez em que surgir um boato por aí, submeta-o ao crivo destas três peneiras: VERDADE - BONDADE - NECESSIDADE, antes de obedecer ao impulso de passa-lo adiante, porque:
PESSOAS INTELIGENTES FALAM SOBRE IDÉIAS,
PESSOAS COMUNS FALAM SOBRE COISAS,
PESSOAS MEDÍOCRES FALAM SOBRE PESSOAS.
Autor: Desconhecido

O Cavaleiro Do Amor

Um dia, numa praça, um jovem exibia seu coração, o mais bonito daquela cidade.
Uma grande multidão se aproximou e admirou aquele coração, pois era perfeito.
Não havia nele um único sinal que lhe prejudicasse a beleza.
Todos reconheceram que realmente era o coração mais bonito que já haviam visto.
O jovem estava vaidoso e o ostentava com crescente orgulho.
De repente um velho homem, montado num cavalo, surgiu do meio da multidão, desceu ao chão e bradou:
" Seu coração nem de longe é tão bonito quanto o meu ! "
O jovem e a multidão olharam para o coração do velho homem.
Batia fortemente, mas era cheio de cicatrizes.
Havia lugares onde faltavam pedaços e também partes com enxertos que não se encaixavam bem, que tinham as laterais ressaltadas.
A multidão se espantou :
" Como pode ele dizer que seu coração é mais bonito? "
O jovem olhou para o coração do velho homem e disse, rindo:
" O senhor deve estar brincando! Compare seu coração com o meu e veja. "
O meu é perfeito e o seu é uma confusão de cicatrizes e emendas !
" Sim " , disse o velho homem.
" O seu tem aparência perfeita mas eu nunca trocaria o meu por ele."
As marcas representam pessoas a quem dei o meu amor.
Eu arranquei pedaços do meu coração e dei a elas e, muitas vezes, elas me deram pedaços de seus corações para colocar nos espaços deixados; como esses pedaços não eram de tamanho exato, hoje parecem enxertos feios e grosseiros, mas eu os conservo como lembranças de amor que dividimos.
Algumas vezes eu dei pedaços do meu coração e as pessoas que os receberam não me deram em retorno pedaços de seus corações:
Esses são os buracos que você vê.
Dar amor é arriscar.
Embora esses buracos doam, eles permanecem abertos lembrando-me do amor que tenho por aquelas pessoas, e eu tenho esperança de que um dia elas me dêem retorno e preencham os espaços que ficaram vazios.
Agora você consegue ver o que é beleza de verdade? "
O jovem ficou em silêncio, com lágrimas rolando por suas faces.
Caminhou em direção do velho homem, olhou para o próprio coração e arrancou um pedaço, oferecendo-o com as mãos trêmulas.
O homem pegou aquele pedaço, colocou no coração e tirando um outro pedaço do seu, colocou-o no espaço deixado no coração do jovem.
Coube, mas não perfeitamente, já que havia irregulares beiradas.
O jovem olhou para o seu antes tão perfeito coração.
Já não tão perfeito depois disso, mas muito mais bonito do que sempre fora, já que o amor do velho homem entrara nele.
Diante da multidão que os observava em respeitoso silêncio, eles se abraçaram e saíram andando lado a lado, seguidos pelo cavalo, cujas patas batendo no solo emitiam o som de corações pulsando ...
Como é o seu coração ???
Autor desconhecido

mensagem de reflexão/Lição de Meu Pai

Cada um dos sete filhos trabalhou na loja de nosso pai,

nossa própria loja de departamentos.
No inicio fazíamos pequenos trabalhos como varrer o chão,

arrumar as prateleiras e fazer embrulhos, e mais tarde,

quando tínhamos experiência, atendíamos aos clientes.
Trabalhando e prestando atenção, nós aprendemos que trabalhar

era mais do que sobreviver e vender.
Uma lição ficou gravada em minha mente.
Era próximo do natal.
Eu estava na oitava série e trabalhava à noite,

ajeitando a seção de brinquedos.
Um pequeno garoto, com uns cinco ou seis anos, entrou.
Ele vestia um desgastado e sujo casaco marrom.
O cabelo despenteado.
O tênis rasgado e desamarrado.
O garoto me pareceu muito pobre -

demasiado pobre para ter dinheiro

para comprar qualquer coisa.
Olhou em torno da seção de brinquedos,

pegava um brinquedo,

olhava atentamente e devolvia com cuidado ao seu lugar.
Papai desceu as escadas e caminhou até o menino.
Seus olhos azuis sorriam e a covinha no rosto sobressaía quando

perguntou ao menino o que poderia fazer por ele.
O menino disse que procurava um presente de

natal para dar à seu irmão.
Me impressionou como papai o tratou com o mesmo respeito

com que tratava a todos os clientes.
Papai lhe disse para ficar à vontade e procurar com calma.
Aproximadamente 20 minutos depois,

o menino escolheu um brinquedo,

foi até meu pai e perguntou, - Senhor, quanto custa este?
- Quanto você tem? Meu pai perguntou.
O menino enfiou a mão no bolso e retirou algumas moedas.
- 27 centavos.
O preço do brinquedo escolhido era $3,98.
- Mas que sorte! É exatamente o quanto custa! Meu pai lhe

disse e fechou a venda.
A resposta de papai ainda soa em meus ouvidos.
Eu pensava nisto enquanto embrulhava o presente.
Quando o menino saía da loja, eu já não observava a roupa

suja e desgastada, o cabelo despenteado,

ou o tênis rasgado e desamarrado.
O que eu via era uma criança radiante levando um tesouro.


LaVonn Steiner

Garoto das meias vermelhas

Ele era um garoto triste. Procurava estudar muito. Na hora do recreio ficava afastado dos colegas, como se estivesse procurando alguma coisa.
Todos os outros meninos zombavam dele, por causa das suas meias vermelhas.
Um dia, o cercaram e lhe perguntaram porque ele só usava meias vermelhas. Ele falou, com simplicidade: "no ano passado, quando fiz aniversário, minha mãe me levou ao circo.
Colocou em mim essas meias vermelhas. Eu reclamei. Comecei a chorar. Disse que todo mundo iria rir de mim, por causa das meias vermelhas.
Mas ela disse que tinha um motivo muito forte para me colocar as meias vermelhas. Disse que se eu me perdesse, bastaria ela olhar para o chão e quando visse um menino de meias vermelhas, saberia que o filho era dela."
"Ora", disseram os garotos. "mas você não está num circo. Por que não tira essas meias vermelhas e as joga fora?"
O menino das meias vermelhas olhou para os próprios pés, talvez para disfarçar o olhar lacrimoso e explicou: "é que a minha mãe abandonou a nossa casa e foi embora. Por isso eu continuo usando essas meias vermelhas. Quando ela passar por mim, em qualquer lugar em que eu esteja, ela vai me encontrar e me levará com ela."
Muitas almas existem, na Terra, solitárias e tristes, chorando um amor que se foi. Colocam meias vermelhas, na expectativa de que alguém as identifique, em meio à multidão, e as leve para a intimidade do próprio coração.
São crianças, cujos pais as deixaram, um dia, em braços alheios, enquanto eles mesmos se lançaram à procura de tesouros, nem sempre reais.
Lesadas em sua afetividade, vivem cada dia à espera do retorno dos amores, ou de alguém que lhes chegue e as aconchegue.
Têm sede de carinho e fome de afeto. Trazem o olhar triste de quem se encontra sozinho e anseia por ternura.
São idosos recolhidos a lares e asilos, às dezenas. Ficam sentados em suas cadeiras, tomando sol, as pernas estendidas, aguardando que alguém identifique as meias vermelhas.
Aguardam gestos de carinho, atenções pequenas. Marcam no calendário, para não se perderem, a data da próxima visita, do aniversário, da festividade especial.
Aguardam...
São homens e mulheres que se levantam todos os dias, saem de casa, andam pelas ruas, sempre à espera de alguém que partiu, retorne.
Que o filho que tomou o rumo do mundo e não mais escreveu, nem deu notícia alguma, volte ao lar.
São namorados, noivos, esposos que viram o outro sair de casa, um dia, e esperam o retorno.
Almas solitárias. Lesadas na afetividade. Carentes.
Pense nisso!
O amor, sem dúvida, é lei da vida. Ninguém no mundo pode medir a resistência de um coração quando abandonado por outro.
E nem pode aquilatar da qualidade das reações que virão daqueles que emurchecem aos poucos, na dor da afeição incompreendida.
Todos devemos respeito uns aos outros. Somos responsáveis pelos que cativamos ou nos confiam seus corações.
Se alguém estiver usando meias vermelhas, por nossa causa, pensemos se esse não é o momento de recompor o que se encontra destroçado, trabalhando a terra do nosso coração.
A maior de todas as artes é a arte de viver juntos.
Carlos Heitor Cony

Discriminação Racial

Isso aconteceu num vôo da British Airways entre Johannesburgo e Londres.
Uma senhora branca, de uns cinqüenta anos, senta-se ao lado de um negro.
Visivelmente perturbada, ela chama a aeromoça:
- Qual e o problema, senhora? Pergunta a aeromoça.
- Mas você não esta vendo? Responde a senhora.
- Você me colocou do lado de um negro.
Eu não consigo ficar do lado destes nojentos. Me dê outro assento.
- Por favor, acalme-se. Diz a aeromoça.
- Quase todos os lugares deste vôo estão tomados.
Vou ver se ha algum lugar disponível.
A aeromoça se afasta e volta alguns minutos depois.
- Minha senhora, como eu suspeitava, não ha nenhum lugar vago na classe econômica.
Eu conversei com o comandante e ele me confirmou que não há mais lugar na executiva.
Entretanto ainda temos um assento na primeira classe.
Antes que a senhora pudesse fazer qualquer comentário, a aeromoça continuou:
- E totalmente inusitado a companhia conceder um assento de primeira classe a alguém da classe econômica, mas, dadas as circunstancias, o comandante considerou que seria escandaloso alguém ser obrigado a sentar-se ao lado de pessoa tão execrável.
E dirigindo-se ao negro, a aeromoça complementa:
- Portanto, senhor, se for de sua vontade, pegue seus pertences que o assento da primeira classe esta a sua espera.
E todos os passageiros ao redor que, chocados acompanhavam a cena, levantaram-se e bateram palmas.

A RAPOSA E O LENHADOR

Existiu um Lenhador que acordava às 6 da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha, e só parava tarde da noite.
Esse lenhador tinha um filho, lindo, de poucos meses e uma raposa, sua amiga, tratada como bicho de estimação e de sua total confiança.
        Todos os dias o lenhador ia trabalhar e deixava a raposa cuidando de seu filho. Todas as noites ao retornar do trabalho, a raposa ficava feliz com sua chegada.
Os vizinhos do Lenhador alertavam que a Raposa era um bicho, um animal selvagem; e portando, não era confiável. Quando ela sentisse fome comeria a criança.
        O Lenhador sempre retrucando com os vizinhos falava que isso era uma grande bobagem. A raposa era sua amiga e jamais faria isso.
        Os vizinhos insistiam:
- "Lenhador abra os olhos ! A Raposa vai comer seu filho."
- "Quando sentir fome, comerá seu filho ! "
Um dia o Lenhador muito exausto do trabalho e muito cansado desses comentários - ao chegar em casa viu a Raposa sorrindo como sempre e sua boca totalmente ensangüentada ...
O Lenhador suou frio e sem pensar duas vezes acertou o machado na cabeça > da raposa...
Ao entrar no quarto desesperado, encontrou seu filho no berço dormindo tranqüilamente e ao lado do berço uma cobra morta ...
O Lenhador enterrou o Machado e a Raposa juntos...
Se você confia em alguém, não importa o que os outros pensem a Respeito, siga sempre o seu caminho e não se deixe influenciar..., mas principalmente nunca tome decisões precipitadas...

Amiga Maldita

Quando a conheci tinha 16 anos...
ELA ou eu, não sei...
Fomos apresentados numa festa por um
carinha que se dizia meu "amigo"...
Foi amor a primeira vista.
ELA me enlouquecia.
Nosso amor chegou a um ponto que já
não conseguia viver sem ELA.
Mas era um amor proibido. Meus pais
não aceitaram. Fui repreeendido na
escola, passamos a nos encontrar
escondidos, ate que não deu mais.
Fiquei louco. Eu queria, mas não a tinha.
Eu não podia permitir que me afastassem DELA.
Eu a amava, bati com o carro, quebrei
tudo dentro de casa e quase matei minha irmã.
Estava louco. Precisava DELA.
Hoje tenho 39 anos, estou internado num hospital, sou
inútil e vou morrer abandonado pelos meus
pais, amigos e por ELA.
Seu nome?
COCAÍNA.
Meu amor, minha vida, minha destruição.
Devo tudo a ELA. Minha morte.

Fred Mercury Queen

CRESCER É...

Ser cada dia um pouco mais nós mesmos. ...
Dar espontaneamente sem cobrar inconscientemente. ...
Aprender a ser feliz de dentro para fora. ...
Buscar no próximo um meio de nos prolongarmos. ...
Sentir a vida na natureza. ...
Entender a morte como natural da vida. ...
Conseguir a calma na hora do caos. ...
Ter sempre uma arma para lutar e uma razão para ir em frente. ...
Saber a hora exata de parar e buscar um algo novo. ...
Não devanear sobre o passado, mas trabalhar em cima dele para o futuro. ...
Reconhecer nossos erros e valorizar nossas virtudes. ...
Conseguir a liberdade com equilíbrio para não sermos libertinos. ...
Exigir dos outros, apenas o que nós damos a eles. ...
Realizar sempre algo edificante. ...
Ser responsável por nossos atos e por suas conseqüências. ...
Entender que temos o espaço de uma vida inteira para crescer. ...
Nos amarmos para que possamos amar os outros como nós mesmos. ...
Assumir que nunca seremos grandes,
mas que o importante é estar sempre em crescimento.

Não fique Triste...

Sei que você está triste...
mas se eu pudesse lhe daria o sol
para ver um brilho a mais em seus olhos...
Se eu pudesse lhe daria o mar
para ver mais profundidade no seu olhar...
Se eu pudesse lhe daria todas as cores do mundo
só para ver seu rosto mais alegre
Você é tão importante para mim...
que eu daria minha própria
vida pra te ver sorrir...
Infelizmente, neste momento
não posso mudar muita coisa,
apenas posso dizer que estou ao seu
lado e que se precisar...
pode sempre contar comigo!

Desconheço Autoria)

Para o Meu Melhor Amigo

Serapião era um velho mendigo que perambulava
pelas ruas da cidade.
Ao seu lado, o fiel escudeiro, um vira lata branco e preto
que atendia pelo nome de Malhado.
Serapião não pedia dinheiro.
Aceitava sempre um pão, uma banana, um pedaço de bolo
ou um almoço feito com sobras de comida dos mais abastados.
Serapião era conhecido como um homem bom,
que perdera a razão, a família, os amigos e até a identidade.

Não bebia álcool, estava sempre tranqüilo,
mesmo quando não havia recebido nem um pouco de comida.
Dizia sempre que Deus lhe daria um pouco na hora certa e,
sempre na hora que Deus determinava,
alguém lhe estendia uma porção de alimentos.
Serapião agradecia e rogava a Deus pela pessoa que o ajudava.
Tudo que ganhava, dava primeiro para o malhado,
que, paciente, comia e ficava a esperar por mais um pouco.
Não tinham onde dormir; onde anoiteciam, lá dormiam.

Certo dia, com a desculpa de lhe oferecer umas bananas,
fui bater um papo com o velho Serapião.
Iniciei a conversa falando do malhado, perguntei pela idade dele,
o que Serapião, não sabia.
Dizia não ter idéia, pois se encontraram um certo dia
quando ambos andavam à toa pelas ruas.
- Nossa amizade começou com um pedaço de pão
- disse o mendigo.
Ele parecia estar faminto e eu lhe ofereci
um pouco do meu almoço e ele agradeceu abanando o rabo,
e daí, não me largou mais.

Ele me ajuda muito a viver e eu retribuo
essa ajuda sempre que posso.
- Como vocês se ajudam? Perguntei.
- Ele me vigia quando estou dormindo; ninguém pode chegar
perto que ele late e ataca.
Também quando ele dorme, eu fico vigiando para que outro
cachorro não o incomode.
Continuando a conversa, perguntei:
- Serapião, você tem algum desejo de vida?
- Sim - respondeu ele - tenho vontade de comer um cachorro quente,
daqueles que a Zezé vende ali na esquina.
- Só isso? Indaguei.
- É, no momento é só isso que eu desejo.

Saí e comprei um cachorro quente para o mendigo.
Voltei e lhe entreguei.
Ele arregalou os olhos, deu um sorriso, agradeceu a dádiva e,
em seguida, tirou a salsicha, deu para o Malhado,
e comeu o pão com os temperos.
Não entendi aquele gesto do mendigo, pois imaginava
ser a salsicha o melhor pedaço.
- Por que você deu para o Malhado logo a salsicha?
Perguntei intrigado.
Ele, com a boca cheia, respondeu:

- Para o melhor amigo, o melhor pedaço.
E continuou comendo, alegre e satisfeito.
Despedi-me do Serapião, passei a mão na cabeça do Malhado
e saí pensando com meus botões
- Aprendi alguma coisa hoje.
Como é bom ter amigos. Pessoas em que possamos confiar.
E saber reconhecer neles o seu real valor, agindo em consonância.
Por outro lado, é bom ser amigo de alguém e ter a satisfação
de ser reconhecido como tal.
Jamais esquecerei a sabedoria daquele eremita.
"PARA O MELHOR AMIGO O MELHOR PEDAÇO"
Autoria Desconhecida

AI QUE SAUDADES

Hoje lembrei de você, com muita saudade.
A saudade, esse sentimento único.

Que nos mostra quem são as pessoas, que realmente marcaram nossas vidas.

Voce é uma dessas raras pessoas, que a gente nunca esquece.

A saudade é um sentimento que nos alegra por nos dar a certeza que temos pessoas importantes no nosso convivio e também nos entristece, por lembrar que essas pessoas estão distantes.

Senti sua falta.
Mande-me notícias.
Quero saber como você está, se está feliz, com saúde...
Se estiver com saudades, me responda esta mensagem

(Desconheço Autoria)

mensagem de amizade

amigos_570

 

symphonypic

Amigos Do Peito

São aqueles que sentimos afinidades que nos despertam saudades que conhecem a nossa realidade!
Amigos do peito são aqueles que se tornam especiais que se fazem essenciais
Nos ouvindo quando necessitamos falar
Nos calando quando necessitamos ouvir
Nos estimulando quando pensamos em desistir
Nos amparando quando achamos que vamos cair!
Amigos verdadeiros do peito
São aqueles que se entristecem com nossas derrotas
Que se sentem felizes com as nossas vitórias
Que caminham lado a lado na mesma direção
Sempre nos impulsionando
Quando a vida parece perder a razão
Amigos do peito
São amigos queridos,
Jamais esquecidos
E mesmo quando ausentes
Eles se tornam presentes
Porque estão bem dentro do peito
No nosso coração!

(Desconheço Autoria)

A Essência Dos Amigos

Eu sempre costumo dizer que os
amigos são flores.
Flores por que? Porque as flores além de sua
graciosidade deixa perfume nas mãos de quem as colhem.
Assim são os amigos, cada um traz consigo uma essência
característica de sua personalidade.
Cada amigo que colhemos no jardim da vida tem sua
esssência, alguns tem ela mais concentrada,
outros equilibrada e outros ainda tão suave que só
com a alma podemos sentí-la.
As melhores essências são sempre encontradas em
pequenos frascos, assim são os amigos,
as vezes pequenos frascos talvez até mesmo sem um
rótulo, mas cuja fragrância invade até a alma.
Meu/ Minha amiga(o) o que faço aqui não é encher sua bola,
mas dizer-lhe que você é mais que um(a) amigo(a),
tantas e tantas vezes sinto você do meu lado
através dos seus e-mails, ou atraves dos momentos
em que nos dispomos a teclar.
Quero lhe agradecer esta demonstração de amor
e amizade, amizade que não é senão a melhor
forma de vivermos o "amor"
que Jesus nos propõe.
Autor Desconhecida

Presente De Deus


Você é muito mais do que um amigo...
Tem um jeito doce de ser,
Nunca pensei que pudesse encontrar
um amigo como você
Você lê os meus olhos,
E sabe o que estou sentindo.
Para cada palavra que eu digo
Você sabe o verdadeiro significado
Nós compartilhamos os momentos
Felizes e os momentos de tristeza
Você é um tesouro de imensa beleza
Nossa amizade não terá fim
Assim como um anel!
Mas de uma coisa eu tenho certeza
Você é um presente enviado por Deus...
Desconheço o autor

Nada Que Se Possa Comparar

Não há nada que se possa comparar
Com a felicidade que encontramos
No conforto de uma amizade
Que é do tipo caloroso e duradouro
Uma amizade feita de pensamentos e carinhos
Maneiras gentis e verdadeiras
Momentos compartilhados – inesquecíveis –
Palavras de amor e elogios
E não há nada que se possa comparar
Com a certeza de saber
Que compartilhamos uma compreensão que vai durar
Pelo resto de nossas vidas
Nós estamos vendo uma amizade
Que está cada dia crescendo mais
Estamos partilhando sorrisos e alegrias
E sinto que vai continuar
Pois eu me surpreendi com uma coisa:
Que nunca poderia existir no mundo
Uma pessoa simples e que sabe,
Transformar a vida em felicidade
Saiba:
Você foi a melhor coisa que me aconteceu
Você é muito importante pra mim
Sempre permanecerá em minha vida.
OBRIGADO POR VOCÊ EXISTIR!
(Katia Cardoso de Abreu)

wonderofitalltop

Amigo é

quem te dá um pedacinho de chão, quando é de terra firme que precisas, ou um pedacinho do céu, se é o sonho que te faz falta.
Amigo é mais que um ombro amigo, é mão estendida, mente aberta, coração pulsante. É aquele que entende teu desejo de voar, de sumir devagar...
É o sol que seca tuas lágrimas, é a polpa que adocica ainda mais o teu sorriso.
Amigo é aquele que te ouve ao telefone, mesmo quando a ligação é caótica, com o mesmo prazer e atenção que teria se estivesse olhando em teus olhos.
Amigo é multimídia. Amigo é quem fala e ouve com o olhar, mesmo distante, em sintonia telepática.
É lua nova, é a estrela mais brilhante, é luz que se renova a cada instante, com múltiplas e inesperadas cores que cabem todas na tua íris.
Amigo é aquele que diz "eu te amo" sem qualquer medo de má interpretação: amigo é quem te ama "e pronto".
É verdade e razão, sonho e sentimento.
Amigo é para sempre, mesmo que o sempre não exista...

criancas1

Alguém Especial

Como é bom ter alguém
especial sempre ao nosso lado.
Parece que a vida toma um outro rumo,
transforma-se num mundo colorido
o vento fica mais suave, o sol brilha com
uma intensidade diferente, a lua parece
mais generosa e o mar fica mais azul.
Ter pessoas especiais
em nossa vida é como querer
recomeçar todos os dias uma vida nova,
coberta de esperança e com novos
sonhos de felicidade sem limites.
Ter alguém especial
do nosso lado é não ter rótulos.
É apenas se doar e amar...
Ter alguém especial
ao nosso lado é vivenciar, a cada
dia, o gostoso sabor do amor, quebrando
o maior de todos os paradigmas:
Que a felicidade é somente para uns
poucos iluminados. Se houvesse uma única
missão comum a todos neste planeta,
ela só poderia ser a realização
plena da felicidade.
Então lute todos
os dias por este sonho dourado!
Aproveite este momento e mande uma
mensagem especial para alguém
Ganhe o seu dia.
Autor Desconhecido

AMIZADE

Quando você estiver triste
E nada mais restar em seu coração,
Me dê a mão e vamos caminhar,
Um jardim especial eu vou lhe mostrar.
Caminhe comigo, erga a fronte,
Levante a cabeça,
Verá o horizonte,
A vida é bela,
Não se esqueça!
Se os pés doem,
As pedras machucam,
Troque os sapatos.
Os fortes não desistem,
Buscam alternativas,
Sempre lutam!

Caminhe comigo, respire fundo,
Sinta o cheirinho bom do mato,
Confie no mundo!
Venha, você é meu amigo!
A amizade encoraja!
Amigo querido!
A caminhada é longa,
Mas não está sozinho,
O jardim será seu refúgio,
Seu abrigo...
Venha comigo!

aut:desconhecido

Agradeço a sua amizade

Dizer que admiro e gosto de você é

muito pouco

porque uma amizade como a nossa

merece muito mais.

Merecia ser infinita para que todos

pudessem entender

o que realmente ela representa na vida

de cada um de nós.

Não sei se declaro, homenageio ou agradeço.

Se eu fosse declarar, diria que sem você

em meu caminho

não haveria tantas coisas a contar.

Se fosse homenagear você, gostaria de lhe

oferecer o brilho das estrelas e

o calor do sol, e você ficaria muito mais

consciente desse meu gesto.



Mas prefiro agradecer, agradecer a Deus a

sua amizade,

dizer a ele, que foi o melhor presente, que recebi

em minha vida,

que você é realmente um ser iluminado que

consegue trazer ao mundo

um grande carisma e um grande companheirismo.

Você representa com nobreza a palavra AMIZADE.

Obrigada por fazer parte da minha vida.

(Desconheço Autoria)

Amigo, Um Ensaio

amigo_50

 

Difícil querer definir amigo. Amigo é quem te dá um pedacinho do chão, quando é de terra firme que você precisa, ou um pedacinho do céu, se é o sonho que te faz falta.
Amigo é mais que ombro amigo, é mão estendida, mente aberta, coração pulsante, costas largas. É quem tentou e fez, e não tem o egoísmo de não querer compartilhar o que aprendeu. É aquele que cede e não espera retorno, porque sabe que o ato de compartilhar um instante qualquer contigo já o realimenta, satisfaz. É quem já sentiu ou um dia vai sentir o mesmo que você. É a compreensão para o seu cansaço e a insatisfação para a sua reticência.
É aquele que entende seu desejo de voar, de sumir devagar, a angústia pela compreensão dos acontecimentos, a sede pelo "por vir". É ao mesmo tempo espelho que te reflete, e óleo derramado sobre suas águas agitadas. É quem fica enfurecido por enxergar seu erro, querer tanto o seu bem e saber que a perfeição é utopia. É o sol que seca suas lágrimas, é a polpa que adocica ainda mais seu sorriso.
Amigo é aquele que toca na sua ferida numa mesa de chopp, acompanha suas vitórias, faz piada amenizando problemas. É quem tem medo, dor, náusea, cólica, gozo, igualzinho a você. É quem sabe que viver é ter história pra contar. É quem sorri pra você sem motivo aparente, é quem sofre com seu sofrimento, é o padrinho filosófico dos seus filhos. É o achar daquilo que você nem sabia que buscava.
Amigo é aquele que te lê em cartas esperadas ou não, pequenos bilhetes em sala de aula, mensagens eletrônicas emocionadas. É aquele que te ouve ao telefone mesmo quando a ligação é caótica, com o mesmo prazer e atenção que teria se tivesse olhando em seus olhos. Amigo é multimídia.
Olhos... amigo é quem fala e ouve com o olhar, o seu e o dele em sintonia telepática. É aquele que percebe em seus olhos seus desejos, seus disfarces, alegria, medo. É aquele que aguarda pacientemente e se entusiasma quando vê surgir aquele tão esperado brilho no seu olhar, e é quem tem uma palavra sob medida quando estes mesmos olhos estão amplificando tristeza interior. É lua nova, é a estrela mais brilhante, é luz que se renova a cada instante, com múltiplas e inesperadas cores que cabem todas na sua íris.
Amigo é aquele que te diz "eu te amo" sem qualquer medo de má interpretação: amigo é quem te ama "e ponto". É verdade e razão, sonho e sentimento. Amigo é pra sempre, mesmo que o sempre não exista.
(Marcelo Batalha)

As Estrelas e os Cometas

Há pessoas estrelas e há pessoas cometas...
Os cometas passam. Apenas são lembrados pelas
datas que passam e que retornam.
As estrelas permanecem. O sol permanece. Passam
anos, milhões de anos, e as estrelas permanecem.
Há muita gente cometa.
Passa pela vida da gente apenas por instantes.
Gente que não prende ninguém e
a ninguém que se prende.
Gente sem amigos,
gente que passa pela vida sem iluminar,
sem aquecer, sem marcar presença.
Importante é ser estrela.
Estar junto. Ser luz. Ser calor. Ser vida.
Amigo e Paixões são estrelas.
Podem passar anos.
Podem surgir distâncias,
mas a marca fica no coração.
Coração que não quer enamorar-se de cometas,
que apenas atraem olhares passageiros.
Ser cometa é ser companheiro por instantes,
explorar os sentimentos humanos,
ser aproveitador das pessoas e das situações,
fazer-se acreditar e desacreditar ao mesmo tempo.
Solidão é resultado de uma vida cometa.
Ninguém fica, todos passam.
Há necessidades de criar um mundo de estrelas.
Todos os dias poder contar com elas e
poder sentir seu calor.
Assim são os amigos estrelas na vida da gente.
São coragem nos momentos de tensão.
São luz nos momentos de desânimo.
Ser estrela neste mundo passageiro,
nesse mundo cheio de pessoas cometas,
é desafio, mas acima de tudo
uma recompensa.
Recompensa de ter sido luz para muitos amigos,
ter sido calor para muitos corações,
ter nascido e vivido e não apenas existido.
E, eu tenho você como
meu amigo estrela !
(Autor Reinilson Câmara)

Um Amigo Muito Especial

Autor: DESCONHECIDO

Quando estou me sentindo realmente feliz
e tenho boas notícias a compartilhar
Preciso de um amigo, muito amigo...
Que realmente me entenderá.
Assim, digito meu login no computador
Me conecto a internet
E lá está você, meu querido amigo.
Como eu abençôo o dia que nos encontramos!!!
Você é a pessoa com quem posso contar
Quando preciso de companhia.
E se me sinto realmente triste,
Você lá está para me consolar!!
Às vezes é duro compreender
Este laço especial que compartilhamos.
Mil milhas entre nós,
Ainda assim, você está lá!!
Eu quero que saiba que eu também estou aqui,
A qualquer hora, se precisar de um amigo
Observe a florzinha do ICQ
ou me mande um e mail.
Talvez, um dia, nos encontremos pessoalmente.
E possamos tomar um chopp juntos.
Por agora, nós bebericamos nossa Coca
Enquanto digitamos um amigável, OI!! : )
Você é uma parte especial de minha vida.
Embora estejamos separados e distantes,
Sua amizade é um tesouro
Que eu amo de coração!!!

Amigo X Amigo

Autor: Aparecida Silva

Amigo é aquela pessoa com quem conversamos sem reservas,
independente da hora ele sabe oferecer o aconchego do seu coração
sem pedir nada em troca, e quando ele precisa
sabe que pode fazer o mesmo sem objeção,
não importa o tempo que estejam distante fisicamente,
amizade é irmã do amor e não tem cara,
tem reciprocidade, afetividade, respeito
carinho, confiança e alegria.
Amigo é aquela pessoa que nos diz o que acha ser correto,
mesmo não sendo o que gostaríamos de escutar,
más sabe respeitar a decisão do outro sem censuras.
Amigo nos avisa do perigo quando não conseguimos enxergar,
sem contrapor nas decisões tomadas.
Amigo sabe dar e receber o ombro amigo sem pré-requisitos,
ele sabe ouvir, tanto quanto escutar...
Amigo naturalmente se comporta com aceitação mil e ameaça zero.
Não existe escola para formação de amigos,
eles por si já nascem aptos,
por isto não impomos regras dentro de uma amizade,
elas se compatibilizam sem invasões,
unindo os verdadeiros amigos, sem maldades,
sem segredos, sem interesses,
a felicidade de um, é a felicidade do outro.
Sem esforço sabemos distinguir nossos amigos
hoje te procurei simplesmente para dizer:
Estou feliz porque te amo meu amigo.
És muito importante para mim

Oração pelos Amigos

Autor: DESCONHECIDO

Pai, eu lhe peço que abençoe meus amigos que estiverem lendo esta mensagem.
Faça lhes uma nova revelação de Seu amor e poder. Espírito Santo, peço Lhe que ministre ao espírito deles neste momento. Onde houver dor, conceda lhes sua paz e misericórdia.
Onde houver dúvida, renove lhes a confiança na Sua capacidade de operar através deles.
Onde houver cansaço ou exaustão, peço Lhe que lhes dê compreensão, paciência e força enquanto aprendem a se submeter a Sua direção.
Onde houver estagnação espiritual, peço Lhe que os renove revelando Sua proximidade e atraindo os para maior intimidade com o Senhor.
Onde houver medo, revele Seu amor e incuta lhes Sua coragem. Onde houver o obstáculo de algum pecado, revele o e quebre, o poder que estiver exercendo sobre a vida deles.
Abençoe suas finanças, conceda lhes maior visão, levante líderes e amigos para dar lhes apoio e encoraje os.
Dê a cada um discernimento para reconhecer as forças negativas que os rodeiam e revele lhes o poder que têm no Senhor para derrotá las.
Peço Lhe que faça todas essas coisas em nome de Jesus.
No amor cristão. Amém!

amizade

Amizade de Verdade

Autor: desconhecido

Houve tempos em que precisei chorar,
e você me consolou.
Houve tempos em que sorri,
e você sorriu comigo.
Houve tempos em que briguei, questionei
e você me apoiou.
Houve tempos em que sonhei, lutei, acreditei
e vivi intensamente muitas emoções.
E você, com sua amizade verdadeira
esteve ao meu lado,
enfrentando todos os obstáculos,
acreditando em mim e em meus ideais.
Houve tempos em que me senti sozinho,
mas como um presente maravilhoso de Deus
você apareceu em minha vida
com seu jeito especial e sua amizade verdadeira.
E hoje não mais estou só, porque tenho você!

amizade

Autor: Silvia Schimidt

Eu não posso acabar com todos os seus problemas, dúvidas ou medos,mas eu posso ouvir você e juntos podemos procurar soluções.
Eu não posso apagar as mágoas e as dores do seu passado nem posso decidir qual será o seu futuro, mas no presente eu posso estar com você se precisar de mim.
Eu não posso impedir que você leve tombos, mas posso oferecer minha mão para você agarrar e levantar se. Suas alegrias, triunfos, sucessos e felicidades não me pertencem,
mas seus risos e sorrisos fazem parte dos meus maiores bens.
Não é de minha alçada tomar decisões por você, nem posso julgar as decisões que você toma, mas eu posso apoiar, encorajar e ajudar se me pedir.
Eu não posso traçar ou impor lhe limites, mas posso apontar lhe caminhos alternativos, procurar com você medidas de crescimento, formas de encontrar se, meios de ser você mesmo sem medo da rejeição.
Eu não posso salvar o seu coração de ser partido pela dor, pela mágoa, perda ou tristeza, mas posso chorar com você e ajudá lo a juntar os pedaços.
Eu não posso dizer quem você é ou como deveria ser:
Eu só posso amar você e ser seu Amigo!