11 de jul de 2012

10 dicas para melhorar sua relação

Por Alessandro Vianna*, especial para o Yahoo! | Yahoo! Brasil

amigasf1

Infelizmente tenho visto crescendo cada vez mais o número de pessoas que terminam relacionamento por se sentirem infelizes e pouco correspondidas. Até aí, tudo bem, porém, sinto que as pessoas estão cada vez mais perdidas em relação a qual atitude tomar, o que se deve fazer para melhorar o relacionamento e através das dificuldades preferem optar pelo término ao invés de tentar melhorar.  

Após anos de atendimentos pude perceber que existem situações que se repetem na maioria dos relacionamentos que fracassam. Foi aí que tive a idéia de elaborar algumas dicas simples que fazem uma enorme diferença para o relacionamento dar certo.
Aí vão 10 dicas básicas, mas muito importantes:
Comunicação, a base do sucesso – Nunca existirá nenhum tipo de relacionamento, seja afetivo ou profissional, que consiga prosperar sem uma comunicação honesta e transparente. Vejo muitos pacientes, principalmente mulheres dizendo: "Tenho medo de falar o que penso, pois ele pode não gostar e terminar a relação". Minha pergunta é:  "Um relacionamento assim é honesto?". Não... não é honesto. É muito importante seu parceiro saber o que está acontecendo, saber seus medos, suas insatisfações, suas angústias, para que aí sim, entendendo suas emoções poderá corresponder aos seus anseios. Ninguém nunca irá melhorar sem saber o que o outro sente e pensa.
Elimine o fantasma – Quando digo elimine o fantasma, faço uma relação direta com a comunicação. As vezes as pessoas começam a entrarem devaneios, achando que o parceiro não ama mais, trai, está sem motivação, etc. Costumo dizer repetidamente que qualquer pequena preocupação ou fantasia negativa que se tem dentro de um relacionamento e esta não é compartilhada com o parceiro, a fim de resolver, certamente virará um mostro avassalador que destruirá a relação.
Seja um bom ouvinte – É importante ouvir o parceiro antes de julgá-lo. Muitas pessoas quando ouvem alguma crítica de seu parceiro, antes mesmo  de deixá-lo expor todas as suas idéias, já acabam se entorpecendo pela raiva e começam a se defender e muitas vezes agredir. Ouvir é fundamental e extremamente importante para o crescimento da relação. Só sabendo ouvir você conseguirá perceber o que está acontecendo com a relação. O que seu parceiro está sentindo, o que espera e aí sim, construir uma base sólida.
Aprenda a conceder – Nesta dica quero deixar em destaque uma  frase que acho bastante importante: ninguém veio ao mundo para suprir todas as suas expectativas! Existem pessoas dentro de um relacionamento que acabam sendo inflexíveis, achando que o parceiro deve ser o que idealizou. Grande erro! Temos nossa individualidade, nossas vontades pessoais, ambições, portanto, é importante conceder para uma relação equilibrada. Porque proibir seu marido de jogar aquele futebolzinho de final de semana? Porque proibir a sua esposa de rever as amigas de colégio? Para muitos estas frases podem parecer surreais, mas para uma grande maioria, estas fazem parte do cotidiano. Não haverá felicidade na relação se não houver a flexibilidade, entendendo sempre as necessidades do outro, afinal quem ama quer ver o outro feliz!
Valorize sua individualidade – Um erro clássico que ocorre com freqüência é diminuir ou finalizar totalmente os relacionamento com amigos, familiares, ao iniciar uma relação. Obviamente que todo começo de relacionamento é algo fantasticamente prazeroso, porém, não podemos deixar a nossa vida de lado pela relação. Seria jogar todas as responsabilidades em seu parceiro. Isso sobrecarregará a relação. Assusta-me a frase “ele é o ar que eu respiro” ou, “a razão do meu viver”. Negativo, leitor. O ar que você respira chama-se oxigênio e a razão do seu viver é a felicidade. O relacionamento tem que ocupar apenas um núcleo dentro de nossa vida. Costumo dizer que temos o núcleo família, o núcleo amigos, o núcleo trabalho, outros núcleos e o núcleo relacionamento será mais um, apenas mais um que certamente somará a sua vida.
Controle o seu ciúme – Pesquisas mostram que até o bebê desenvolve o ciúme logo nos primeiros meses. É normal queremos valorizar o que é nosso, é normal queremos cuidar, é normal não querermos perder, porém, sufocar alguém com seu ciúme, isso levará com toda a certeza ao fracasso da relação. Ninguém é feliz com alguém desconfiando 24 horas por dia, monitorando “via satélite” cada passo dado. Isso tornará insuportável, portanto, tenho uma dica a seguir para controlar este ciúme.
Valorize-se e cuide de sua autoestima – A única forma de diminuirmos o ciúme doentio é cuidar de nós mesmos. Se valorize, busque o equilíbrio, invista em você, cuide de seu corpo, de sua saúde emocional. Quantas vezes percebo pessoas priorizando o outro ao invés de priorizar a si mesmo. Não estou falando de egoísmo, mas quanto mais eu me sinto inferior, feio, desequilibrado, mais eu acho que meu parceiro irá me trocar por qualquer outra pessoa. Quanto mais estou de bem comigo mesmo, mais me sinto valorizado e mais certeza eu tenho  que sou merecedor do afeto do outro, sentindo que valho a pena.
Use a criatividade – No começo do relacionamento pensamos sempre em surpreender o parceiro. Escrevemos cartinhas, mandamos flores, mensagens, torpedo.  Depois surge a síndrome do “passei pro nome”, ou seja, baseado na segurança de que o parceiro está totalmente na sua, você acaba aniquilando sua criatividade e investimentos na relação. Deixam de dizer eu te amo, deixar de mandar os torpedinhos, entram totalmente na rotina. Que tal cuidar da relação diariamente? Nunca irei me esquecer de uma senhora que atendi a alguns anos, de aproximadamente 60 anos, que me disse que ela e o marido instituíam a sexta-feira do casal. Independente de terem filhos, desde que se casaram todas as sextas feiras eram ocupadas por um programa a 2, apenas a 2. Afirmo com convicção que mesmo aos 60 anos, ela dizia que as sextas feiras se sentia a “namorada de sempre”.
Não compare o passado com o presente – Se alguém tem o desejo de que o parceiro desperte os mesmos sentimentos das primeiras semanas, ou tenha as mesmas atitudes dos primeiros dias de namoro se frustrará com toda certeza. No início de todo relacionamento todos nós temos aquele friozinho no estômago, aquela vontade de falar absolutamente em todos os minutos. Isso ocorre muito pelo fator novidade. Todas as situações novas geram maiores expectativas, portanto, aquele momento sempre será único, o que não pode em hipótese alguma desmerecer os momentos seguintes. As sensações mudam, as atitudes mudam, porém, devemos valorizar os pequenos sinais de afeto para tornar o relacionamento cada dia tão importante quanto o dia anterior.
Não se prive de demonstrar afeto – Muitas pessoas pensam da seguinte forma: não vou ficar falando que amo, que adoro, que estou apaixonada, pois o parceiro irá se sentir muito seguro e conseqüentemente não valorizará a relação. Obviamente sempre sugiro: não se coloque na “bandeja”. O ser humano carece de conquistas, portanto, a plena e total segurança pode desvalorizar a relação. Porém, nunca deixe de expressar o que sente. Não tenha medo de ser feliz e obviamente se este amor e dedicação não forem correspondidos, pense que quando escolhemos alguém, deixamos outras várias oportunidades de lado, portanto, tem que valer a pena.
Seja feliz!!!!

Blog Coisas do Coração

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário neste blog ..compartilhe comigo ...suas opiniões ,sobre esta postagem.