9 de abr de 2010

Mensagem Não sei

Não sei como posso afagar toda a mágoa que me inflama, todo esse mal horrendo que me chama em sucessivos tropeços sem cama. Não sei porque não me hei-de iludir em não pertencer a este mundo lançado à lama, onde almas tristes e ousadas se defrontam pelo preço da fama. Ao amor cobro com minha maldade ingénua que por seu nome e sentido, peço a Deus me volte a secar a alma para nem mais por ténue esperança seja dor sem calor num coração que não me ama. Não obstante incrédulo, no meu mais recente despertar, já não ouso em viver como quem reclama, e de pedra bruta a esculpido e principesco sonhador vou vivendo como quem aclama. Hugo Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário neste blog ..compartilhe comigo ...suas opiniões ,sobre esta postagem.