2 de jul de 2010

ENCANTO DA VIDA

A vida nos proporciona surpresas que não
entendemos o significado.
Sonhei com um Príncipe Encantado.
Luzes coloridas, magia, penumbra,
música a encantar meu coração.
A emoção invade a alma e eu carente de Amor.
Renasce a paixão, o amor, tudo era cor de rosa.
O sol brilhava com tanto esplendor.
As noites a ninar o meu desejo.
A realização de ser mulher.
Mulher menina que sonhava com a
delícia do amor e da paixão.
Amor que sonhei, idealizei.
Meu Príncipe Encantado encontrei.
Céu estrelado, magia da lua, encanto da vida.
A conquista foi lenta, com paciência,
carinho e sinceridade.
Guardei na alma a pureza, magnitude do
sentimento conquistado.
Dediquei-me a construir um império
que foi só meu.
Ingenuidade de uma criança inocente,
a beleza de um novo ser.
Dividi e somei tristezas e alegrias.
Bate descompassado aquele coração que
acreditava num amor sem fim,
pureza e certeza da paixão a dois.
Um dia a duvida, incerteza a tristeza de
ter meu sonho desmoronado.
É como o castelo de areia em que a onda
do mar o leva sem piedade.
A tempestade do deserto a devastar o
império construído.
Lutei, briguei, chorei, pelo encanto da
vida e o sonho que idealizei.
E agora? O que será? Um tempo? Reflexão...
Negociei, chantagiei, lutei, briguei...
Mas nada consegui.
Justificar é a maneira que encontramos
para proteger os erros cometidos
sem noção do caso e do acaso, atos
inconseqüentes que cometemos.
Onde você esta? Recolhido no seu eu?
Mentir, camuflar os prazeres e
devaneios era o caminho mais fácil
sem querer enxergar o futuro.
Lançou sua sorte ao vento.
Encanto da vida.
Iludindo coração, mexendo com sentimento,
apagando a chama da paixão o encanto do amor.
E agora... O que fazes? Recolhe-se em seu casulo,
espera a tempestade passar que a bonança a de vir.
Fácil foi deliciar-se em prazeres e aventuras
no decorrer da vida.
Qual delas haveria de aceitar-te? Fazer-te feliz?
Semeou vento para colher tempestade.
Ignorou, desprezou o amor verdadeiro.
Esconda-se, fuja da responsabilidade que causou.
O encanto da vida acabou.
A realidade assusta, dá medo, a incerteza...
Caminho obscuro e sombrio inebriado
pela ilusão e devaneio,
prazeres furtivos o levaram ao nada.
Reflexo dos nossos atos.
Acorda coração, acorda meu amor...
Acorda para que amanhã não seja tarde.
Tarde para entender-te.
Tarde para desculpar-te.
Tarde para aceitar-te.
Tarde para perdoar-te.
Tarde para amar-te.
Acorda coração, acorda meu amor...
Saia do seu casulo, reflita...
Procure, insista, invista no amor.
Acorda coração, acorda meu amor.

Silvia L. Lapa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário neste blog ..compartilhe comigo ...suas opiniões ,sobre esta postagem.