26 de ago de 2010

Poema Amor

Represarei meus pensamentos,
Para que em mim se reflitam
As estrelas da noite
E as luzes da manhã...
Deixarei de correr entre campos e gargantas
Para sentir a carícia do vento
E refletir em minhas águas
Os píncaros nevados da montanha.
Represarei meus pensamentos
Para fixar o vôo dos pássaros,
A marcha das nuvens,
E o degelo das neves.
Deixarei de correr por vales e gargantas,
Se, na tranqüilidade de minhas águas,
Houver o espelho nítido e profundo
Onde se reflita o gesto de tuas mãos
E a graça do teu rosto.
Então adormecerei no fundo de mim mesmo
E sobre meus olhos abertos para a eternidade,
Os peixes vindos da noite
Tecerão filigranas indecifráveis,
Com o reflexo das escamas feitas de lua e sonho...
Paulo Bomfim

Blog coisas do Coração

OgAAAJSqLKNCO88Cd33sC1ErWhVcHS50u8Z1RuobIcvpogJivMw54EaG0NabQVOApQfZ0TUzj-l60hzwHKNfsFKQps8Am1T1UNRIeaeLSvUNiOj5aRfxBHcRp4Xf

Blog coisas do Coração

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário neste blog ..compartilhe comigo ...suas opiniões ,sobre esta postagem.